Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Saldo da Copa

14/07/2014 17:38 | Atualização: 14/07/2014 17:45

Não só de bola viveu o Mundial do Brasil. Gente, cores, festa, risos, lágrimas compuseram o cenário. Palavras também. Ao lado da redonda, a língua foi grande vedete. Olhos e ouvidos mantiveram-se atentos a grafias e pronúncias. Houve carinhos e pancadas — como os deixados pela Seleção verde-amarela. As carícias ganharam de goleada. Mas sete faltas doeram como os chutes alemães.

O dizer
Há pronúncias freguesas do tronco. Uma delas: o ditongo ei. Galvão Bueno & cia. teimam em esnobar o izinho. Pauleira, goleiro, forasteiro, festeiro, etc. e tal soaram paulera, golero, forastero, festero. Xô!

Felipão contribuiu para engrossar a lista dos maus-tratos ao português nosso de todos os dias. "O trabalho não foi ruim", disse em entrevista coletiva. Pôs o acento no u. Bobeou. Ru-im se pronuncia como Joaquim e Aladim. A sílaba tônica é a última — como se tivesse acento no i (ru-ím).

Gênero 1
"Sete a zero? Ops! O Brasil está com a moral baixa", concluiu o repórter. Tropeçou na emoção e no gênero da palavra. A dissílaba pertence a duas equipes. Pode ser masculina ou feminina. O moral quer dizer disposição, ânimo. A moral é conjunto de preceitos de conduta (moral duvidosa, moral da fábula). A Seleção, depois da goleada, ficou com o moral baixo, não?

Gênero 2
Estádios cheios não deixavam por menos. Levaram narradores a dizer "as milhares de pessoas" a torto e a direito. Bobeira. Milhar joga no time de milhão — o dos machos sim, senhores. São masculinos e não abrem: um milhar de pessoas, dois milhares de pessoas, os milhares de pessoas, um milhão de pessoas, dois milhões de pessoas, os milhões de pessoas.

Grafia
O pesadelo não acabou. Depois dos 7 a 1, corremos outro sério risco. A Argentina pode ser a campeã da Copa do Brasil. Já imaginou entregar a taça aos hermanos? Arquirrival tem sido palavra pra lá de citada. Ela é formada do prefixo arqui + o substantivo rival. Ao juntá-los, temos de manter a pronúncia. Como? Dobrando o r. Com um r só, fica arquirival. Nada feito. O mesmo ocorre com fotorreportagem, autorreferência, minirreforma. E por aí vai.

Regência
"As pressões aumentam para que o país chegue na final", repetiam comentaristas de norte a sul, de leste a oeste. Na ânsia de levantar o ânimo dos brasileiros, os bem-intencionados espancaram a regência. Chega-se a algum lugar: Chega-se a São Paulo. Chega-se a Brasília. Chega-se ao clube. E, claro, chega-se à final.

Concordância
O verbo faltar é figurinha carimbada. Trata-se de verbo regular. Mas costuma apanhar mais que a Seleção diante da Alemanha. É um tal de "falta 10 minutos", "falta cinco dias", "falta dois gols". A colocação do sujeito depois do verbo se encarrega de promover o tropeço. Se mudamos a ordem, a concordância fica simples como andar pra frente (10 minutos faltam, cinco dias faltam, dois gols faltam). A inversão não muda a regra. O verbo, como manda o bom português, concorda com o sujeito: faltam 10 minutos, faltam cinco dias, faltam dois gols.

Conjugação

"Se o técnico manter a equipe, o resultado será previsível." Ops! Se manter? Nãoooooooooo! O futuro do subjuntivo sofre. E não é de hoje. A razão do martírio se chama semelhança. Em muitos verbos, o futuro tem a cara do infinitivo (se eu cantar, se eu vender, se eu partir). Mas, em alguns casos, a história muda de enredo. É bom, por isso, saber a formação de tempo tão sofisticado. Ele nasce do pretérito perfeito do indicativo. Mais precisamente: da 3ª pessoa do plural menos o -am final. Assim:

Pretérito perfeito: eu mantive, ele manteve, nós mantivemos, eles mantiver(am)

Futuro do subjuntivo: se eu mantiver, ele mantiver, nós mantivermos, eles mantiverem.

Logo: Se o técnico mantiver a equipe, o resultado será previsível.


Leitor pergunta
Estou em dúvida de como tratar a concordância de férias no seguinte período: Férias, suas lindonas, vocês chegaram — sejam bem-vindas! ou Férias, sua lindona, seja bem-vinda!

Maurício Ribeiro, Brasília

Férias é substantivo plural. A concordância não tem saída. Deve respeitar o número: Férias, suas lindonas, vocês chegaram — sejam bem-vindas!

PESQUISA DE CONCURSOS