Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Caixa-preta, pra que te quero?

30/03/2015 16:29

Que triste! Avião da Germanwinds caiu nos Alpes franceses. Morreram 150 pessoas. Entre elas, turminha de adolescentes que faziam intercâmbio. O que provocou a tragédia? Há hipóteses. Fala-se em ato terrorista. Mas a certeza só virá com as completas revelações da caixa-preta. Caixa-preta? É só o nome. Ela é laranja. A cor viva torna-a mais visível.

Por falar em laranja

A reforma ortográfica fez artes na língua. Uma delas: cassou o hífen de palavras compostas de três vocábulos ou mais ligados por preposição, conjunção, pronome. É o caso de pé de moleque, mula sem cabeça, dor de cotovelo, tomara que caia, mão de obra, testa de ferro. É o caso também do triozinho de cores: cor de laranja, cor de gelo, cor de marfim.

Exceção? Só uma. É cor-de-rosa. A cor preferida de menininhas e meninonas mantém o tracinho. Por quê? A lei que tratou da reforma ortográfica a citou como exceção. Citou também água-de-colônia e pé-de- meia (poupança).

Sem generalização

Na língua nem todos são iguais perante a lei. Existem os mais iguais. A reforma ortográfica poupou as composições de seres dos reinos animal e vegetal: joão-de-barro, bicho-de-pé, cana-de-açúcar, pimenta-do-reino, castanha-do-pará.

O segundão
"Como? Será?", perguntam gregos, romanos, goianos e baianos. Investigador diz que copiloto teria deliberadamente assumido controle do avião e provocado a queda". Ao divulgar a notícia, pintou a dúvida. Como escrever copiloto? Com hífen? Sem hífen? Procura daqui, pesquisa dali, eureca! O prefixo co- tem alergia ao tracinho. Com ele é tudo colado: coordenação, coerdeiro, coautor. E, claro, copiloto.

A diferença
"Dois ignorantes se encontram e não tardam em se agredir. Dois sábios se encontram e logo se abraçam." (Hermógenes)

Tempos modernos

As siglas são gente da casa. Curtinhas, combinam com o tempo moderno. Estamos sempre apressados. Daí a regra de ouro "menor é melhor". Mas nem tudo são flores. Volta e meia, pintam dúvidas sobre a grafia das pequenas. Adauto Ferreira quer jogar luz sobre as incertezas. Pediu ajuda à coluna. Leitor manda, não pede.

Escrevem-se todas as letras grandonas em duas ocasiões.

1. se a sigla tiver até três letras: PM (polícia militar), PR (Presidência da República), UTI (unidade de terapia intensiva), PIB (Produto Interno Bruto), ONU (Organização das Nações Unidas), TAM (Transportes Aéreos de Marília)

2. se as letras forem pronunciadas uma a uma: INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social), BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação)

No mais, só a inicial é maiúscula: Detran (Departamento de Trânsito), Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), Cedoc (centro de documentação).

Leitor pergunta
Ajude-me numa velha dúvida: "nsino a distância" tem crase?

Pedro Jorge Hatem Filho, Belo Horizonte

Crase, Pedro, é como aliança no anular esquerdo. Indica casamento. No caso, de dois aa. Em geral, de preposição e artigo. Ora, para que haja união, os dois pares precisam estar presentes. É aí que mora a questão. Distância, na locução a distância, não tem artigo. Duvida? Na traseira de ônibus e caminhões aparece o aviso "mantenha distância" — assim, sem artigo.

Quando for indicado o tamanho da distância, cessa tudo o que a musa antiga canta. O artigo diz presente. A crase também. Compare: Siga o carro a distância. Siga o carro à distância de 50m. Logo, ensino a distância.

***

Trabalho bem-feito ou benfeito?

Humberto Mascarenhas

O contrário de malfeito é benfeito sim, senhores.

PESQUISA DE CONCURSOS