Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Todo-poderosos põem a barba de molho

08/06/2015 11:57

Mal foi eleito, o presidente da Fifa pediu o boné. Afundado até o pescoço no mar de corrupção, Joseph Blatter morre de medo da polícia. O risco de parar no xilindró é maior se ele estiver na cabeça da instituição que comanda o futebol. Calculados os prós e os contras, o homem achou melhor cair fora.

Com a saída, uma palavra ocupou as manchetes. Trata-se de todo-poderoso. Como outros chefões estão no mesmo barco, a duplinha deu nó nos miolos de repórteres e revisores. Qual o plural da criatura? Uns apostaram em todos-poderosos. Outros, em todo-poderosos. E daí?

O xis da resposta é o todo. A dissílaba, no caso, vale por totalmente. É, pois, invariável. Sem feminino e sem plural, fica sempre igual: o todo-poderoso, os todo-poderosos, a todo-poderosa, as todo-poderosas.

As consequências, como frisava o conselheiro Acácio, vêm depois. Com a caçada aos todo-poderosos da máfia das chuteiras, as todo-poderosas organizações nacionais põem as barbas de molho. Entre elas, a CBF.

É suíça sim, senhor

A sede da Fifa fica em Zurique, na Suíça. Com o escândalo do Fifão, o país ganhou o noticiário dos cinco continentes. Repórteres caprichosos evitam a repetição de palavras. Pra substituir suíça, escrevem helvética. Eis a razão: helvético quer dizer referente aos helvéticos — a tribo celta que habitava o território que hoje se chama Suíça.

Mulheres e livros

"Na mocidade, lê-se desencadernadamente. Em matéria de livros, como em assunto de mulheres, os moços preferem quantidade à qualidade. Deseja-se, então, amar todas as mulheres e ler todos os livros." (Eduardo Frieiro)

Time oxítono

Luiz Filipe Medeiros gosta de escrever. Como ocorre com gregos, romanos, goianos e baianos, pintam dúvidas ao longo do processo. A mais recente se refere à acentuação gráfica. "Cumpri-lo tem acento?", pergunta ele. Não.

As oxítonas terminadas em i jogam no time das terminadas em u. Seguidas ou não de vogal ou consoante, dispensam grampinhos e chapeuzinhos: tupi, tupis, guarani, guaranis, aqui, ali, cumpri-lo, vesti-la; dormir, funil, caju, cajus, urubu, urubus, bumbum, bumbuns.

Sem exceção
A grafia de infravermelho quebrou a cabeça da meninada da UnB. Uns juravam que a palavra se escrevia com hífen. Outros, que as duas partes deveriam ficar juntinhas. E daí? Consultada a gramática, a turma aprendeu a lição.

Infra
pertence à equipe da maior parte dos prefixos. Pede o tracinho quando seguido de h ou de vogais iguais. No mais, é tudo colado: infra-hepático, infra-humano, infra-acústico, infra-atômico, infra-axilar, infraconstitucional, infravermelho.

Leitor pergunta

Gostaria de saber se a seguinte frase está correta: "… devendo os bens comuns serem partilhados exclusivamente entre os descendentes".

Thales Mota, Maceió


O xis da questão é devendo… serem… Trata-se de locução verbal. Ser é o verbo principal. Dever, o auxiliar. No caso, a língua apela para a lei do menor esforço. Só o auxiliar se flexiona. O companheiro fica no infinitivo: "… devendo os bens comuns ser partilhados exclusivamente entre os descendentes.

***

É correta a expressão "grande maioria"? existe pequena maioria? Os nossos jornalistas usam e abusam da duplinha. Estão certos?

Frederico Augusto Tavares de Melo, Recife

Maioria, Fredeiro, é metade mais um. Às vezes, a diferença é bemmmmmmmm maior. Trata-se de grande maioria. Quer um exemplo? Paulo e Pedro disputavam 100 votos. Paulo obteve 51. Ganhou por pequena maioria. Se tivesse conseguido 98, ops! Teria obtido quase a unanimidade. É grande maioria. Ou não?

PESQUISA DE CONCURSOS