Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Caetano subiu nas tamancas

01/07/2015 16:11

Caetano faz o que tantos fazem. Contratam profissionais pra cuidar das redes sociais. Twitter, Facebook, Instagram parecem alimentados pela celebridade. Não são. Daí por que surpresas acontecem de vez em quando. Com o baiano não foi diferente. "Homenagem à Bituca" apareceu em post do cantor. Ele subiu nas tamancas. E deu a lição: Bituca, apelido de Milton Nascimento, é nome masculino. Nada de crase.

Acertou. O sinalzinho anuncia casamento de dois aa. Um é a preposição. O outro, em geral, o artigo. Ora, antes dos machinhos, o o pede passagem. O a fica por conta das senhoras e senhoritas. Se a turma caetana tinha a intenção de anteceder Bituca do monossílabo, teria escrito este texto nota 10: Homenagem ao Bituca.

Por falar em nome próprio…
Ocorre crase antes de nome de pessoa? Depende. Há regiões que usam o artigo. Os gaúchos, por exemplo, dizem a Maria, a Carla, o Paulo. Nordestinos dispensam o pequenino. Os pernambucanos dizem Maria, Carla, Paulo. Ora, se o artigo é facultativo, a crase também é. Merecem banda de música e tapete vermelho as duas formas: Dirigiu-se à Maria. Dirigu-se a Maria. Homenagem à Maria Bethânia. Homenagem a Maria Bethânia.

O masculino não foge à regra. Se a companhia do artigo é facultativa, o ozinho fica entregue ao critério do freguês. Olho vivo! Como ensinou Caetano, nada de crase: Dirigiu-se a Paulo. Dirigiu-se ao Paulo. Homenagem a Chico. Homenagem ao Chico.

Você concorda?
"Ora, veja bem, num mundo com mais de 7 bilhões de pessoas, você não concorda que há muitos imbecis? Não estou falando ofensivamente quanto ao caráter das pessoas. O sujeito pode ser excelente funcionário ou pai de família, mas ser completo imbecil em diversos assuntos. Com a internet e as redes sociais, o imbecil passa a opinar a respeito de temas que não entende." (Umberto Eco)

Mandioca majestosa
Quem diria, hem? A mandioca virou celebridade. No lançamento dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, a presidente reverenciou o tubérculo. Levou pauladas a torto e a direito. Que bobeira! Sua Excelência poderia ganhar aplausos se tivesse contado a origem do nome do tubérculo. Conhece? É a história da filha do cacique que apareceu grávida.

Furioso, o índio queria que a moça dissesse o nome do pai da criança. Ela insistia: não tinha namorado ninguém. Meses depois, nasceu uma menina. Surpresa! A bebê era branquinha, muito branquinha. E sabia falar e andar. Deram-lhe o nome de Mani. Com pouco mais de um ano, a garota morreu.

Um dia, apareceu no túmulo uma planta estranha. Decidiram desenterrar o corpo da indiazinha. Ops! Só encontraram grossas raízes — escuras por fora e brancas por dentro. Os índios cozinharam e comeram o alimento desconhecido. Agradeceram a Tupã. A raiz de Mani saciou a fome da tribo.

Significado
Mandioca tem duas partes. Uma: Mani. A outra: oca. Oca, em tupi, quer dizer casa. Mandica, então, significa a casa de Mani.

Leitor pergunta
Li no Correio de segunda-feira uma chamada sobre o garçom Cícero, que aposentou a bandeja. O texto diz que clientes "foram ao Beirute agradecê-lo pelos serviços prestados". Estranhei. Não seria agradecer-lhe?

Maria Luiza Dalledone Machado, Brasília

Tem razão, Maria Luiza. O jornal pisou a regência. A gente agradece a alguém. O pronome que funciona como objeto indireto é lhe. Melhor corrigir: Clientes do garçom mais querido da cidade foram ao Beirute agradecer-lhe pelos serviços prestados.

***

Claudio ou Cláudio? Ora vejo o nome grafado com acento. Ora sem acento. E daí?

Sandra Drummond, Brasília


Cláudio joga no time de rádio e áudio. Paroxítona terminada em i tem acento. Mas, como se trata de nome próprio, vale o que está escrito. Se na certidão de nascimento não aparece o agudo, o Claudio será Claudio vida afora.

***

Vi a palavra taxativo escrita com ch. Foi erro?

Tânia, lugar incerto

O dicionário só registra taxativo. É quem não admite réplica ou contestação: O deputado foi taxativo na defesa da família.

PESQUISA DE CONCURSOS