Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Criatividade em ação

24/08/2015 16:02

Virgem Maria! A inflação explode. Devora nosso rico dinheirinho. O mês ficou longo pro salário que encurtou. A saída? Só há uma: abrir alas para a criatividade. Vale o exemplo da Dolores. "A carne está pela hora da morte", reclamou ela no supermercado. Atento, o vendedor lhe apresentou alternativa: "Compre frango. Está mais barato". Ela agradeceu a sugestão. Em casa, não deixou a peteca cair. Caprichou no tempero e na apresentação. Ao servir a delícia, perguntou ao marido:

— Você pode destrinchar o frango? Ele engoliu em seco. Tossiu levemente. Olhou pros com atenção. Por fim, delicado, fez a correção:

— Não posso destrinchar. Mas posso trinchar.

E pôs mãos à obra. Sem pressa, cortou a carne em pedaços. Arrumou-os na travessa. Depois serviu. Quem ganhou a primeira porção? Ela, claro. A cozinheira nota 10.

A diferença

Trinchar é cortar em pedaços a carne servida à mesa. Destrinchar (ou destrinçar) não tem nada a ver com gulas, fomes e sedes. Quer dizer esmiuçar, particularizar, resolver em detalhes: Depois do debate, o comentarista destrinchou o assunto tim-tim por tim-tim . Quem consegue destrinchar o enredo da Lava-Jato? Comentaristas tentam, mas não conseguem destrinçar as causas que levaram à montagem do esquema que assaltou a Petrobras. Você consegue?

Delícias

Não gosta de frango? Parta pra outra. Que tal uma pizza jeitosa? Seja qual for o sabor, um ingrediente é obrigatório. Trata-se do queijo que derrete no forno e bajula o paladar. A delícia se chama muçarela — assim mesmo, com ç. Existe também a forma mozarela. Você escolhe.

Vai bem
Sanduíche também quebra o galho. Não faltam tentações — presunto, queijo, filé, franguinho, berinjela, etc. e tal. Uma delas merece cuidado pra lá de especial. Ao pedir sanduíche de mortadela, deixe letras intrusas de fora. Dizer mortandela? Nãooooooooooooooooo! Dá indigestão. Xô, n!

Pode ou não pode?
Eta semaninha generosa! Não faltaram assuntos quentes. Falou-se no impeachment da presidente Dilma Rousseff, na redução da maioridade penal, na enrascada do presidente da Câmara dos Deputados. A Operação Lava-Jato deixa os nervos à flor da pele. Corruptos não têm saída. Mantêm as barbas de molho.

O Supremo Tribunal Federal também participou da festa. Em julgamento, o porte de drogas ilícitas. Eis a questão: a pessoa pode ter maconha, cocaína, crack & cia. entorpecente para uso pessoal? A pergunta incendeia paixões. Alguns respondem sim. Outros, não. E daí?

A palavra descriminação entrou em cartaz. Muitos a confundiram com discriminação. Nada feito. O prefixo des-, que aparece em descriminação, é o mesmo que pinta em desobedecer. Dá ideia de negação. Descriminar é deixar de ser crime. Discriminar joga no time de distinguir, tratar de maneira diferente: A Constituição diz que a discriminação é crime.

Depende
Olho vivo, moçada. O garoto curioso espia pela fechadura da porta o banho da irmã. A mãe vê. Contrariada, castiga-o. Recolhe o celular por três dias. “Por quê?”, pergunta ele choroso. Porque você deve expiar o erro.

É isso. Espiar é observar secretamente. Daí espião, espionar, espionagem. Expiar, pagar erros cometidos. Expiação, expiatório, expiável pertencem à mesma família.

Leitor pergunta

Impecilho ou empecilho? Vejo as duas formas. Qual a correta?
Serena Bastos, Recife

Impecilho, com i, não existe. A forma nota 10 é empecilho.

PESQUISA DE CONCURSOS