Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Bem-vindas, dúvidas

28/09/2015 16:35 | Atualização: 29/09/2015 16:39

Quem escreve tem dúvidas. É natural. Quem tem dúvidas corre atrás das respostas. É inteligente. Dicionários, gramáticas, livros, blogues estão às ordens. Professores também. Especialistas idem. A coluna vai atrás. Perguntas são pra lá de bem-vindas. Vamos a elas?

Por que se escreve muito com i e se pronuncia muinto? (Paulo Lira)

Letras, Paulo, são como vírus. Contagiam. É o caso. A nasalidade do m pega.

*

O certo é almoço na antevéspera ou na antivéspera do feriado? (Gabi Sales)

Gabi, as palavras têm pai e mãe. Formam famílias. Ante pertence ao clã de antes. Anti, de contra. O almoço antecede a véspera do feriado, não? Então é na antevéspera.

*

Qual a diferença entre abusivo e abusado? (Maria Luz)

Abusivo pode ser excessivo, exorbitante (cobrança abusiva) ou autoritário, despótico (poder abusivo). Abusado significa brigão, intrometido ou irritante.

*

Em "investiu pesadamente", é possível trocar pesadamente por pesado, sem alterar a correção da frase? (João Castelo)

Na língua, a promiscuidade corre solta. Pesado é adjetivo. Pesadamente, advérbio. O adjetivo também joga no time dos advérbios. Lembra-se da cerveja que desce redondo? O redondo significa redondamente.

*

Andar de cavalo ou andar a cavalo? (Celina Só)

Celina, olho vivo. A gente anda de carro, de avião, de moto, de trem, de bonde, de bicicleta. Mas anda a cavalo.

*

Por que a pronúncia de subsídio e subsolo é diferente? Muita gente fala a primeira com som de z em vez de som de s. (Samantha Costa)

Não é, Samantha. Subsídio se pronuncia como subsolo. O s soa ss.

*

Em um texto com diálogo, devo usar aspas ou travessão? (Sabastião Niger)


O travessão (--) é como Bom Bril, Tem mil e uma utilidades. Uma delas, Sebastião, responde à sua pergunta -- introduz diálogos:

Imagino Irene entrando no céu
-- Licença, meu Branco?
E São Pedro, bonachão:
-- Entra, Irene. Você não precisa pedir licença.

*

Que tal rever os outros empregos? Ei-los. O travessão:

1. Separa as datas de nascimento e morte de uma pessoa:

Porto Alegre, 1908 -- Recife, 1962.

2. Destaca um termo opaco, escondido. Dá realce ao sem-graça:
O presidente conseguiu -- até -- a adesão dos adversários.

3. Substitui os dois pontos (ao introduzir uma explicação) ou a vírgula:

Eis o grande desafio dos inscritos no Enem – fazer uma redação nota mil. (Eis o grande desafio dos inscritos no Enem: fazer uma redação nota mil.)

Usa-se travessão com vírgula? (Geraldo Nunes)

Só num caso. Se o segundo travessão coincidir com a vírgula:
Quando saiu de casa -- lá pela meia-noite --, deixou a família reunida. (Quando saiu de casa lá pela meia noite, deixou a família reunida.)

Deu para entender? O casamento da vírgula com o travessão é raro como viúvo na praça. Não confunda. No caso em que podem aparecer duas vírgulas em vez dos dois travessões, a vírgula não tem vez:

Redigir -- na definição do Aurélio -- é escrever com ordem e método. (Redigir, na definição do Aurélio, é escrever com ordem e método.)

Use. Mas não abuse. Coloque apenas dois travessões no mesmo parágrafo. Mais que isso desorienta. Deixa o leitor confuso como cego em tiroteio.

PESQUISA DE CONCURSOS