Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Natureza de cara feira

13/10/2015 13:21 | Atualização: 13/10/2015 13:22

Dad Squarisi

“Não tenho medo de cara feia. Tenho medo de natureza em fúria.” A frase foi desabafo de moradora da periferia de Brasília. Tereza Silva mirava os estragos causados por tempestade que deixou rastro de destruição — casas ruíram, torres voaram, pessoas desapareceram.

Ventania, enxurrada e chuva de granizo mudaram a paisagem. Jornalistas improvisados postaram imagens e comentários nas redes sociais. Os textos chamaram a atenção por duas razões. Uma, claro, pela informação que prestavam. A outra, por tropeços na língua. Volta e meia aparecia a palavra “enchurrada”. Nada feito. Enxurrada se escreve com x.

O xis da questão
Enxurrada, enxaqueca, enxada, enxofre, enxugar, enxaguar, enxoval têm dois pontos em comum. Um deles: escrevem-se com x. O outro: ensinam lição de grafia. Depois de en- o xis pede passagem.

Comigo ninguém pode
Com a língua é assim: a família está acima de qualquer regra. Por isso, enchente, enchiqueirar, encharcar, enchocalhar se escrevem com ch apesar do en. A razão: as palavras são filhas de cheio (encher, enchente), chiqueiro (enchiqueirar), charco (encharcar, encharcado), chocalho (enchocalhar).

Pequeno, mas...
Sabia? A palavra granizo vem de grão. É diminutivo. Granito e grânulo também são diminutivos de grão. Os três querem dizer grãozinho, outro diminutivo. Na chuva de granizo, é como se o gelo fosse cortado em pedacinhos. Eles despencam do céu e vestem a terra de branco. Os gelinhos são pequenos. Mas, juntos, causam um senhor estrago. Que pena!

Água do céu
Chuva tem plural? A dúvida não é de uma só pessoa. Muitos leitores estranham a presença do s. Aprenderam na escola que basta o singular pra dar o recado. Pergunta daqui, consulta dali, a resposta não vem. E daí?

Chuva tem plural. É chuvas. Quando usá-lo? Se cai uma pancada de água e pronto, o singular pede passagem: Caiu forte chuva nesta noite. De maio a setembro, a chuva é rara em Brasília. Esta semana, a chuva fez estragos no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no Distrito Federal.

Vamos combinar? Nem sempre a chuva é comportada. De vez em quando, abusa. Despenca semanas a fio. Vale o exemplo de Brasília & arredores. A capital da República tem duas estações — a seca e a chuvosa. Quando desembesta, a chuva dá as caras tooooooooooodos os dias. Aí, dizemos: As chuvas de verão devolvem o verde aos gramados. Bem-vindas!

Sobre o vento

“As árvores querem ficar quietas, mas o vento não deixa.” (provérbio chinês)

*

“Quem não sabe agradar segundo o vento que sopra, logo, logo pega um resfriado.” (Millôr Fernandes)

*

“Quem viu o vento? / Nem você nem eu. / Mas, quando as árvores baixam a cabeça, / O vento é que passa.” (Chistina Rossetti)

Time preguiçoso
Com os temporais e os ventos furiosos, não dá outra. O verbo ruir entra em cartaz. Pinta, então, a dúvida. Como se conjuga o dissílabo que ninguém ama e ninguém quer? Você sabe? Faça a sua aposta.

Ruir joga no time dos preguiçosos. Defectivo, não tem todas as pessoas e tempos. Só se conjuga nas formas em que o e e o i seguem o u — rui, ruímos, ruem, ruiu, ruíram, ruía, ruíam, ruirá, ruiremos, ruirão, ruiria, ruiríamos, ruindo: Com o abalo, o prédio ruiu. Muros frágeis ruirão com o vento. Moradia improvisada rui com qualquer pancada de chuva.

Leitor pergunta
Com u ou com l? Os professores não se cansam de explicar. Dizem que mau joga no time dos adjetivos. Mal, no dos substantivos ou advérbios. Mas a explicação entra por um ouvido e sai pelo outro. No sufoco, troco as bolas. Pode me ajudar?

Celina Diniz, Diamantina

Mau, Celina, é o contrário de bom. Faça a substituição. No troca-troca dá bom? O u pede passagem: homem mau (homem bom), lobo mau (lobo bom), mau funcionário (bom funcionário), mau humor (bom humor).

Mal opõe-se a bem: Nos filmes, o mal (o bem) não tem vez. A tuberculose foi o mal (bem) do século 19. Dormi mal (bem). Anda mal (bem) das pernas. Não tenho paciência com mal-humorados (bem-humorados).

Guarde isto: Não confie no ouvido. Ele engana. Recorra ao macete. Aí, não dá outra. É acertar ou acertar.

PESQUISA DE CONCURSOS