Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Totalmente demais

05/11/2015 09:26

Dad Squarisi

Vem aí a nova novela das sete. Cheia de charme, traz no elenco a bela Juliana Paes e o gatíssimo Fábio Assunção. Manequins e passarelas farão a festa na trama. O que chama mais a atenção? Acredite: não é a produção nem são os atores. É o nome do folhetim – Totalmente demais.

Muitos estranharam a combinação das duas palavras. Ambas têm mania de grandeza. Totalmente não deixa margem pra faltas. Abrange o todo. Daí se dizer totalmente perdido ou totalmente apaixonado. Demais, informa o dicionário, é em excesso, além da justa medida, de maneira muito forte.

Dá pra ver, não? A dissílaba joga no time dos exagerados. Comer demais é comer além do necessário. Beber demais é abusar de umas e outras. Dormir demais é permanecer nos braços de Morfeu mais do que aconselha o relógio.

E daí?

Vamos à classe gramatical. O advérbio é pra lá de versátil. Pode modificar um adjetivo (muito bonito), um verbo (correu muito) ou um advérbio (muito bem). A língua aceita a construção numa boa. O xis da confusão é o exagero. São dois bicudos... que se beijam. Vem, licença poética.

Por falar em...

Licença poética? É isto: autorização pra fazer gato e sapato com a grafia, a fonética, a sintaxe. A língua não pode ser vir de camisa de força para a criação. Por isso, o artista tem autorização para desrespeitar gramáticas & companhias regradas. Drummond conhecia muito bem a permissão. “Cacilda Becker morreram”, escreveu quando a Fernanda Montenegro das décadas de 50 e 60 nos deixou pra animar o andar de cima. Foi em 1969.

Dupla da pesada

Demais e de mais são formados pelas mesmas palavras (de + mais). Mas exprimem ideias diferentes:

1. Advérbio, demais tem dois empregos. Um deles: com o sentido de muito, excessivamente (comeu demais, trabalhou demais). O outro: com a acepção de ademais, além disso: Na viagem, esteve em museus, foi ao teatro, visitou amigos, fez compras. Demais, proferiu duas conferências.

2. Pronome indefinido, quer dizer os restantes. Aí, tem a companhia do artigo: Cinco dos presentes se levantaram. Os demais permaneceram sentados.

*

E de mais? O separadinho se opõe a de menos: No Brasil há processos de mais e juízes de menos. Recebi troco de mais, não de menos. Até aí, nada de mais.

É pleonasmo

“A greve do metrô começa a partir de hoje”, anunciaram jornais, rádios e tevês. Exageraram. Começar e a partir de dão o mesmo recado — início de processo. Melhor ficar com um ou outro. Assim: A greve do metrô começa hoje. Os metroviários cruzam os braços a partir de hoje. Até quando? Sabe-se lá.

Por quê?
“O backstage do espetáculo de Bibi Ferreira no Theatro NET São Paulo em que a cantora brasileira desfilou sucessos do repertório de Frank Sinatra como My way e Night and day”, escreveu a revista Monet de outubro de 2015. Roldão Simas Filho comentou: “Por que esquecer um termo consagrado como bastidores e usar o pouco conhecido backstage?”

É pronominal

“No jornal desta segunda, lê-se: `Avião partiu em dois antes de atingir o solo´. Vamos combinar? O verbo partir, no sentido de quebrar, despedaçar, é transitivo direto e exige o complemento. O avião partiu o quê? Ah, sim, entendi: o avião partiu-se em dois.” (João Manoel Moreira Aparecida)

Leitor pergunta

Qual é a pronúncia de oximoro? A palavra rima com namoro?

Edilson Zafira de Sousa, lugar incerto

Oximoro é paroxítona. Rima com namoro sim, senhores. Em ambas, a sílaba tônica é mo. O significado? Trata-se de figura de linguagem pra lá de brincalhona porque reúne palavras contraditórias. É o caso de silêncio eloquente, valentia covarde, culpa inocente.

PESQUISA DE CONCURSOS