Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Jogo do fica não fica

14/12/2015 11:50

Dad Squarisi

A palavra que perdeu a vergonha? É impeachment. A inglesinha está em todas as bocas, em todas as faixas, em todos os meios de comunicação. Jornais, rádios, tevês, internet deitam e rolam. Só falam no assunto. Nas ruas, mensagens atordoam pedestres e motoristas. De um lado, o fica, Dilma. De outro, o fora, Dilma. No centro, o cidadão que quer ordem e progresso.

Em meio a pancadarias e xingamentos, duas questões se impuseram. Ambas nasceram de dúvidas de leitores e ouvintes atentos. Uma: impeachment tem forma verde-amarela? A outra: Bate-boca tem plural? A resposta é sim e sim. Na linguinha nossa de todos os dias, impeachment é impedimento.

Bate-boca joga no time de guarda-chuva, porta-retrato, para-choque. Elas são formadas por duas palavras — verbo + substantivo. No plural, só o nome se flexiona. O verbo fica no bem-bom, de pernas pro alto, esperando o tempo passar: guarda-chuvas, porta-retratos, para-choques.

Elitista

A língua imita a vida. Nada mais coerente. Ela dá voz à sociedade. Daí por que se parece com os falantes. Entre eles, há os populares, os reservados e, claro, os elitistas. As criaturas em cujas veias circula sangue azul mantêm-se à margem da oração. Não se misturam com as demais nem a pedido de Deus, dos orixás e dos deuses do Olimpo juntos. Por isso vêm sempre, sempre mesmo, separadas por vírgula.

O ser tão especial tem nome. É vocativo. A polissílaba quer dizer chamamento. Sempre que nos dirigimos a alguém, recorremos ao elitista. Como água e azeite, ele exige distância de plebeus. A proximidade de uns e outros provoca curto-circuito no enunciado. Melhor prevenir acidentes e tragédias. Assim: Fora, Dilma. Dilma, fora. Fica, Dilma. Dilma, fica.

Por que escrevo
“Eu escrevo sem esperança de que o que eu escrevo altere alguma coisa. Não altera nada. Porque no fundo a gente não está querendo alterar as coisas. A gente está querendo desabrochar de um modo ou de outro.” (Clarice Lispector)

Com pedigree

Na língua existem criaturas raras. É o caso das palavras terminam com n. Entre elas, hífen, éden, pólen, hímen, sêmen, gérmen, glúten e abdômen. As escassas pregam senhora peça na acentuação gráfica. No singular, ganham acento. No plural, dispensam grampos e chapéus. Por quê?

A história vem de longe. Lá pelo século 12, quando o português nasceu, ninguém sabia a pronúncia correta dos vocábulos. Oxítonas queriam que todas fossem oxítonas. Paroxítonas puxavam a brasa pra si. Proparoxítonas idem. Travaram, então sangrenta batalha. Oxítonas e paroxítonas se tornaram, desde então, grandes inimigas. O que acontece com umas não acontece com as outras.

Resultado: as oxítonas terminadas em ens- são acentuadas (armazéns, parabéns, conténs). As paroxítonas agradecem, mas dispensam o sinalzinho: jovens, homens, nuvens, hifens, edens, polens, himens, germens, glutens e abdomens.

Leitor pergunta

Aos sábados? No sábado? Tenho dúvida. No sufoco, chuto. Nem sempre sou abençoada. Como acertar sempre?

Clarita Vasconcelos, Recife


Muita gente tem essa dúvida, Clarita. Mas, uma vez esclarecida, o emprego de uma forma ou outra fica fácil como andar pra frente. O uso do aos informa que o fato se repete regularmente: Faço compra aos sábados (todos os sábados). A coluna circula às quartas e domingos (todas as quartas e todos os domingos). Vou à missa às quintas (todas as quintas).

A preposição em (no sábado, na segunda) diz que o fato ocorrerá uma só uma vez ou de vez em quando: Beto se batizou no sábado. Fui ao cinema na segunda.Viajo na quarta para Madri.

***

Que coisa! Abusa-se do verbo acontecer. Na pobreza vocabular da comunicação diária, tudo acontece. Até pessoas. Pode?

Thiago Macedo, Boa Vista


Deus, Jesus e Maria, por favor, livrem-nos dos modismos. Sem eles, acontecer dá ideia de inesperado, desconhecido (o que acontece? Tudo acontece nos feriados). O verbinho não significa realizar-se. Nem ocorrer. A disputa aconteceu ontem? Nem pensar. Realizou-se ontem. O concerto acontece no Teatro Municipal? Cruz-credo! O concerto será no Teatro Municipal. Aconteceram bate-bocas na comissão? Não. Ocorreram bate-bocas na comissão. Maria acontece na novela das 8h? Sem essa. Maria brilha na novela das 8h.

PESQUISA DE CONCURSOS