Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Bem-vindo, maio

01/05/2017 10:00

Dad Squarisi

Oba! Amanhã começa o quinto mês do ano. Com ele, o Dia do Trabalho. Nada de aula, batente, trânsito. Só têm vez pernas pro alto, encontro de amigos, papo gostoso. Vale, por isso, dedicar um tempinho a certas curiosidades a respeito das próximas 744 horas que nos aguardam até a virada do calendário.


2017

Este maio é pra lá de especial. Outro igual só daqui a 823 anos. Por quê? Nos 31 dias, haverá cinco sextas-feiras, cinco sábados e cinco domingos. Os chineses chamam o fenômeno de bolsa cheia de dinheiro.

Majestade

O nome dos meses têm pai e mãe. Maio não foge à regra. Ele homenageia a deusa Maia. Trata-se de antiga divindade identificada com grandeza divina. Era também chamada de Maiesta. Daí se originou a palavra majestade.

Mês bem feito

É de Jorge de Lima esta homenagem ao mês que começa amanhã: “Mês de maio / mês de maio! / Ai! Mês bem feito / que tem o dia primeiro / pra ser Dia do Trabalho. // Comemorando esse dia / vamos todos descansar // Mês de maio, mês de maio, / ai mesinho brasileiro! / O Brasil quis fazer anos — escolheu seu dia três. / / Comemorando esse dia, vamos, meu bem, descansar!”

Sem nobreza

Olho vivo! Nome de mês é substantivo comum. Escreve-se com inicial pequenina: janeiro, fevereiro, março, abril, maio, junho. E por aí vai.

Sangue azul

Generalizar é proibido. Em datas comemorativas, nome de mês muda de time. Em vez de sangue vermelho, sangue azul passa a lhe correr nas veias: Os trabalhadores comemoram o 1º de Maio. Sete de Setembro é Dia da Pátria.

Por falar em sangue azul...

Datas comemorativas também são nobres. Escrevem-se com inicial maiúscula: Dia do Trabalho, Dia da Pátria, Dia dos Pais, Dia das Mães, Dia dos Namorados, Dia das Crianças.

Dois lá, um cá

Maio tem duas sílabas. Uma delas é formada pelo ditongo ai. Cuidado! Ditongo é casalzinho que fica sempre junto. Ao separar as sílabas, a duplinha fica assim: mai-o, mei-o, i-dei-a, as-sem-blei-a.

Olho na ordem

Em 13 de maio de 1888, o Brasil deu uma guinada na história. A princesa Isabel bateu ponto final na escravatura. Assinou a Lei 3.353, batizada de Áurea. Ao referir-se a ela ou a qualquer ato legal, lembre-se da pontuação. Antes de tudo, escolha uma ordem — crescente ou decrescente. Observe o emprego da vírgula:

Crescente (do menor para o maior): art. 1º da Lei 3.353; § 5º do art. 3º da Lei 3.214.

Decrescente (do maior para o menor): Lei 3.353, art. 1º; Lei 3.214, art. 3º, § 5º.

Superdica: a data vem sempre, sempre mesmo, separada por vírgula: Lei 3.353, de 13 de maio de 1888.

Um ou mais de um

Maiúscula ou minúscula? Lei, medida provisória, decreto, portaria & cia. são vira-latas. Escrevem-se com inicial minúscula. Eles só ganham pedigree em duas ocasiões. Uma: se tiverem nome. A outra: se forem numeradas: Lei Áurea, Lei Afonso Arinos, Lei de Falências, Lei 3.353, Medida Provisória das Mensalidades Escolares, Medida Provisória 135, Decreto 1.212.

Leitor pergunta

Falar de doença não é comigo. Mas, de vez em quando, não há saída. Temos de citar enfermidades. Duas me deixam confusa porque se apresentam com diferentes formas. Enfarto, enfarte ou infarto? Diabete ou diabetes?
Celina Braga, Porto Alegre

O dicionário registra enfarto, enfarte e infarto. Você escolhe. É acertar ou acertar.

O diabete, a diabete. O diabetes, a diabetes. Masculino ou feminino, tanto faz. Com s ou sem s, tanto faz. Mas com um pormenor. Mesmo com s, diabetes é singular. Exige artigo e adjetivo no singular: diabetes renal, o diabetes sacarino, a diabetes sacarina.

PESQUISA DE CONCURSOS