Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Boas férias, moçada

12/07/2017 10:06

Dad Squarisi

Oba! As férias chegaram. Com elas, os livros descansam, o relógio ganha aposentadoria, os deveres de casa ficam na gaveta. Mas, pra curtir as benesses, uma condição se impõe. Lembre-se de que férias joga no time plural. Sempre: As férias são bem-vindas. Boas férias, moçada. As férias de julho são curtinhas, mas esperadas com ansiedade. Eta férias boas!


Cadê os óculos?

Eles podem ser redondos, quadrados ou ovais. Grandes ou pequenos. Tradicionais ou moderninhos. Com lentes claras ou escuras. Tamanho, cor ou modelo não importam. Na hora de comprar ou referir, mantenha esta dica na cabeça. Óculos só tem uma forma. É plural: Onde pus meus óculos? Você viu meus óculos de grau? Comprei óculos na liquidação.

A clareza é a soberana do estilo. Montaigne, há 400 anos, dizia que o texto tem de ter três virtudes. A primeira: clareza. A segunda: clareza. A terceira: clareza. Com os senhores óculos, a clareza pode ficar comprometida. É o caso de “comprei uns óculos escuros”. Quantos? O jeito é jogar luz sobre o enunciado: Comprei um par de óculos escuros. Comprei cinco pares de óculos escuros.

Que tal?

Não vai viajar? Nem tem programa especial para as férias? Vale a sugestão — ler. A leitura é exercício de liberdade. Com o livro, você visita mundos conhecidos e desconhecidos, tem contato com povos e culturas. Sobretudo, sonha. Dá asas à imaginação. Pra colher frutos tão deliciosos, basta conjugar o verbo ler como manda a gramática. O nó está no presente do indicativo. Ei-lo: eu leio, ele lê, nós lemos, eles leem.


Olha as horas

Um cineminha alimenta a alma. Um teatro também. Um lanchinho com os amigos? Oba! Nutre o corpo. Seja qual for a escolha, o relógio é convocado. Ao dizer a hora do programa, um elemento tem presença obrigatória. Trata-se do artigo. O pequenino acompanha a indicação de horas: Espero você desde as 2 horas. Marquei a sessão para as 4 horas. O filme vai das 14h às 16h. Que tal deixar o encontro para o meio-dia e meia?

Endereço

Cinema, teatro, bar, restaurante, residência têm um denominador comum. É o endereço. Ao dizê-lo, bobear é proibido. Tenha cuidado com a preposição. O prédio fica na rua tal, na avenida tal, na quadra tal. Dizer à rua tal, à avenida tal, à quadra tal? Valha-nos, Deus. É desorientação certa.
A indicação de bairro, cidade ou país segue a mesma orientação: Almocei no Leblon. Moro na Asa Sul. Fernanda reside em Porto Alegre. O hotel está situado em bairro elegante de Floripa.  

Prontinho

Antes de sair, você raspa a barba? Ou rapa a barba? Com certeza rapa. Bigode, barba, axilas, pelos em geral se rapam. Parede, porta, taco se raspam. Bilhete de loteria também se raspa. É a raspadinha.


Do Graciliano Ramos

“A palavra não foi feita para enfeitar, brilhar como ouro falso. A palavra foi feita para dizer.”

Golpe

O que não falta na internet? É golpe. Outro dia, um abusado ligou pra uma aposentada esperta e avisou:
— Seu carnê venceu.
Ela, que nunca pagou carnê, respondeu divertida:
— Que bom! Estava torcendo por ele.
 

Leitor pergunta

"Que suador!", disse o atleta depois da competição. Referia-se ao estado em que se encontrava, molhado da cabeça aos pés. É suador ou suadouro?
Cleber Santos, Araxá

Suador joga no time de matador e bebedor. Eles praticam a ação. Quem sua é suador. Quem mata, matador. Quem bebe, bebedor. O efeito da ação joga em outra equipe. O efeito do suador é suadouro. O lugar onde se matam animais, matadouro. O lugar onde se bebe, bebedouro. O atleta ganharia medalha de ouro se tivesse dito "que suadouro".

PESQUISA DE CONCURSOS