Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Convite para sair

27/07/2017 14:10

Dad Squarisi

O governo quer diminuir o número de funcionários. Como? Eles têm estabilidade. Só saem se quiserem. Daí o plano de demissão voluntária. As três palavras são conhecidas pela sigla PDV. A meta: a adesão de 5 mil servidores. Chegará lá? Só o tempo dirá.


Enquanto os dias passam, vale a dica. Por que demissão se escreve com ss? As duas letrinhas têm a ver com a família. É que quem sai aos seus não degenera. Os verbos do clã terminam em –itir. O substantivo deles derivados ganham dose dupla: admitir (admissão), emitir (emissão), transmitir (transmissão).  


A origem

Em tempos de desemprego, demitir virou palavrão. A palavra vem do latim demittere. Na língua dos Césares, quer dizer deixar cair, fazer descer, ir para a planície. Com os anos, consolidou-se com a acepção de tirar cargo, função, trabalho. Em bom português: sai, ou sai.


Menos

O Executivo tem 500 mil funcionários. O PDV está de olho em 1% desse número. São 5 mil pessoas. Com a saída delas, a folha de pagamento conjugará o verbo reduzir. Menos gente, menos dinheiro. Pinta, aí, uma diquinha de português. Redução se escreve com ç. Por quê? Pela mesma razão que demissão se grafa com ss. A palavra tem família. Vem de reduzir. Substantivos derivados de verbos terminados em -uzir dão passagem ao ç: reduzir (redução), traduzir (tradução), conduzir (condução), seduzir (sedução).

PDV

PDV se escreve com todas as letras maiúsculas pela mesma razão que ONU, UTI, OEA, PM, INSS, BNDES. Todas se encaixam nesta regra: exibe todas as letras grandonas a sigla que tiver até três letras (PDV) ou se as letras forem pronunciadas uma a uma (INSS). No mais, só a inicial ganha pedigree (Detran, Otan, Anvisa).

Plural

Sigla tem plural? Tem. Basta acrescentar um essezinho no fim da reduzida. Nada de apóstrofo, por favor: PMs, UTIs, PDVs.

Isto ou aquilo?

A concordância é a questão. O governo espera que 1% dos servidores peça demissão? Peçam demissão? A resposta tem tudo a ver com a posição dos termos:

1. Se o número vem antes do verbo, o verbo pode escolher. Concorda com o número (1%) ou com o complemento (servidores): O governo espera que 1% dos servidores peça demissão. O governo espera que 1% dos servidores peçam demissão. Talvez 2% do total peçam demissão. Talvez 2% do total peça demissão.


Olho vivo

Se o número percentual estiver determinado por artigo, pronome ou adjetivo, adeus, escolha. A concordância se fará só com o numeral: O 1% dos servidores deve pensar antes de decidir.Os 10% do eleitorado deixaram para votar no fim da tarde. Uns 8% da população economicamente ativa ganham mais de R$ 10 mil. Esse 1% de indecisos dará a palavra final.

2. Com o número posposto ao verbo, cessa tudo o que a musa antiga canta. O verbo só pode concordar com o número: Deve pedir demissão 1% dos servidores. Talvez peçam demissão 2% do total.


Leitor pergunta

Ouvi um deputado dizer: “Houveram protestos na Paulista”. Ele tropeçou no verbo haver, não?
Celina Alves, Betim

Uiiiiiiiiiiiiiiii! Que dor! No sentido de existir ou ocorrer, o verbo haver é impessoal. Só se conjuga na 3ª pessoa do singular: Houve protestos na Paulista. Havia distúrbios na manifestação. Houve três acidentes no fim de semana.

PESQUISA DE CONCURSOS