Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Domingo pede cachimbo

%u201CO segredo de um estilo mais eficiente é simples: converse com o leitor%u201D, Rudolph Flesch

27/07/2017 14:11

Dad Squarisi

Que preguiça! É julho, mês de férias. É domingo, dia de descanso. Dia também das dicas de português. Nada de esforço ou quebra-cabeças. Histórias curiosas e toques leves vão bem. Leitura rápida e fácil memorização é a ordem. Vamos lá?


Belezas e mesas

Marina é linda. Morena, olhos azuis, peso de manequim, pernas longas e andar ondulante como as ondas do mar. Ela tem um sonho. Fazer televisão. Qualidades não lhe faltam. Submeteu-se a teste. Fotogênica, ultrapassou o primeiro obstáculo. Depois, veio a prova de locução. O texto era simples. Mas cheio de ciladas. Em duas ela caiu como sereia: A entrada é gratuita. O governo vai cortar o subsídio.
A bela pôs um baita acento no i. E disse “subzídio”. Esqueceu-se de duas dicas pra lá de preciosas. Uma: Gratuito pronuncia-se como circuito e fortuito. A outra: o s de subsídio soa igualzinho ao de subsolo.
Moral da opereta: Beleza nem sempre põe mesa.

É vício

Carlos vive com dor de ouvido. Compra que compra remédio pra otite. Mas os medicamentos estão pela hora da morte. E o dinheiro encurtou. "O problema", diz ele, "não é da alçada do otorrino. Pertence ao universo da prosódia. Muita gente pronuncia o à como se fossem dois aa (vou a a praia). Pode estar certo. Mas maltrata os tímpanos".
São manhas da escola antiga. No ditado, os professores pronunciavam dois aa para os alunos se darem conta da crase. Era um truque. Virou vício. Corra dele.

Por falar em pronúncia...

Como pronunciar os números fracionários escritos com vírgula? A dúvida volta e meia assalta locutores de rádio e apresentadores de tevê. Resposta: da forma mais clara e simples possível: 2,75 (dois vírgula setenta e cinco), 33,5 (trinta e três vírgula cinco ou trinta e três e meio).

Sem redundâncias

Paulo, recém-formado em comunicação, descobriu que sites e tevês estavam contratando gente nova. Ligou para o Departamento de Pessoal. Soube que o primeiro passo era apresentar o currículo. Moleza. Preparou cuidadosamente o texto. Entregou-o. Vários colegas faziam o mesmo. Na hora da avaliação, lá estava em letras garrafais: “experiência anterior”. Ops! Toda experiência é anterior. Basta experiência. Não deu outra. O currículo foi pro montinho dos suspeitos. O examinador partiu pra outro.
%u3000
Dá ou baixa
Que susto! Deu na TV: "Fiscais extorquiram delegada". É difícil. Extorquir não é lá coisa boa. Significa obter por violência, ameaças ou ardis. O verbo tem uma manha. Seu objeto direto tem de ser coisa. Nunca pessoa. Extorque-se alguma coisa. Não alguém: Fiscais extorquiram dinheiro de delegada. A polícia tentou extorquir o segredo. Extorquiram a fórmula ao cientista.
%u3000
E daí?
Marta é secretária de uma escola. Ela se preocupa com a grafia do nome das crianças. Observa acenos, esses e zês. "As certidões, diz ela, trazem o nome em letra maiúscula. Nem sempre devidamente acentuados. O que devo fazer?"
Em português, as maiúsculas não gozam de privilégios. Têm o mesmo tratamento das minúsculas. Devem ser acentuadas quando necessário (Ásia, Índia). Pressupõe-se que os cartórios saibam disso. Mas, se na certidão não aparecer o acento, respeite o registro. Como no jogo do bicho, vale o que está escrito. É lei.
 
Leitor pergunta
Há diferença entre diretor de secretaria e diretor da secretaria?
Celina Borges, Criciúma

Há. O xis da questão está no artigo (da = de + a). O artigo definido dá precisão ao objeto. Se digo "traga os livros", não me refiro a quaisquer livros. Mas a livros específicos. Se, ao contrário, digo "traga livros", pode ser qualquer obra.
Diretor de secretaria é diretor de qualquer secretaria. Diretor da secretaria é de determinada secretaria: Ele será nomeado diretor de secretaria. Ele será nomeado diretor da Secretaria de Assuntos Econômicos.

PESQUISA DE CONCURSOS