Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

Haver, pra que te quero?

"Além do silêncio, o que mais se aproxima de expressar o inexpressável é a música." Aldous Huxley

30/07/2018 15:24 | Atualização: 30/07/2018 15:31

Dad Squarisi

O verbo mais ardiloso da língua? É o haver. Ele joga em todos os times. Ora tem um significado, ora tem outro. Ora é pessoal, ora impessoal. Ora forma pleonasmo, ora esnoba a redundância. Ora forma expressão que se confunde com outra, ora se revela claro como a água da fonte. Ufa!


Mas, como diz o povo sabido, não há bem que sempre dure, nem mal que nunca se acabe. Há jeitos de domar a indomável criatura. Como? Conhecendo-lhe as manhas. Uma vez dominadas, o verbinho fica manso como o cachorrinho da gente. Quer ver?

Significados

O haver se escreve assim. Mas, dependendo do contexto, multiplica significados. Ele pode ser:

  1. substantivo. Aí quer dizer bem, riqueza: Na partilha, perdeu metade dos haveres.

  1. verbo. Ops! O dicionário registra quase 20 acepções. Entre elas, ter, possuir (hei um emprego); obter, conseguir (depois de muita luta, houve o que buscava); considerar, julgar (houveram que era abuso aceitar as exigências do governador); existir (há 20 casas na rua); fazer (havia meses que não falávamos); entender-se, arranjar-se (não sabia que o filho se havia com traficantes). Etc. e tal.

Impessoalidade

O dissílabo inspirou-se em palavras e expressões do povo sabido. Entre elas, mesquinho, sovina, canguinha, muquirana, pão-duro, mão-fechada, mão de vaca, sapo morreu na unha, não dá adeus pra não abrir a mão, não come ovo pra não jogar a casca fora, nada com o Sonrisal na mão, e o efervescente continua seco.

Eureca! Em vez de flexionar-se nas três pessoas (eu, nós; tu, vós; ele, eles), o verbo estacionou em uma. Impessoal, só se conjuga na 3ª pessoa do singular. Ele joga nessa equipe em três ocasiões:

1. na acepção de ocorrer: Houve mortes no acidente do monomotor.
2. no sentido de existir: Há três casas na rua.
3. na contagem de tempo passado: Moro em Brasília há dois anos.


Confusão

Ops! Os homens sentem ódio, raiva. O haver também. Nada lhe desperta os instintos mais bárbaros do que contrariá-lo. Atrevidos o tornam pessoal quando é impessoal. Em vez de “houve distúrbios”, dizem “houveram distúrbios”. Em lugar de “havia casas”, preferem “haviam casas”. Pagam caro. A fúria do verbo desmoraliza reputações e rouba pontos no vestibular, no concurso, no emprego. Valha-nos, Deus!

Pleonasmo

Sem humildade, o haver se sente autossuficiente. Na indicação de tempo, basta o há. Dizer “há dois anos atrás”? Cruz-credo! O atrás sobra. Explica-se. O há indica passado. O atrás também. Xô, pleonasmo! Fique com um ou outro. Assim:

Chegou há duas horas.
Chegou duas horas trás.


Filharada

Louco pelos prazeres da carne, o haver é do tempo em que não havia camisinha. Resultado: teve filhos. Um deles: reaver. O garoto quer dizer haver de novo (recuperar). Muitos lhe confundem a paternidade. Escrevem reavejo,  reaviu como se o verbo fosse derivado de ver. Bobeiam. Ele só se conjuga nas formas em que aparece o v do paizão: houve (reouve), haveria (reaveria), haverão (reaverão).

Expressão

Desde que nasceu, o haver não tirava os olhos da expressão haja vista (= veja-se). Também ele queria porque queria andar em duplinha. Como? Tornou-se auxiliar. Colado ao particípio de outro verbo, forma tempo composto: que eu haja visto, ele haja visto, nós hajamos visto, eles hajam visto.

Leitor pergunta

Como abreviar o abecedário?
Clara Rosa, Brasília

É á-bê-cê ou abecê. Plural: á-bê-cês e abecês: Ele ainda estuda o á-bê-cê (abecê).

*

Tenho dúvida na conjugação do verbo abolir. Pode me ajudar?

Juca Gomes, BH

Abolir é verbo defectivo. Só se conjuga nas formas em que o l é seguido de e ou i. Por isso não tem a primeira pessoa do singular do presente do indicativo (abolo), o presente do subjuntivo (derivado da 1ª pessoa do presente do indicativo) e o imperativo negativo (formado do presente do subjuntivo): aboles, abole, abolimos, abolem; aboli, aboliu, abolimos, aboliram; abolia, abolias, abolíamos, aboliam; abolisse; abolirei; aboliria. E por aí vai.

PESQUISA DE CONCURSOS