Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Quase 100 mil candidatos vão fazer o concurso da Polícia Federal neste domingo

O Cespe/UnB é o responsável pela aplicação dos exames

16/12/2014 15:36 | Atualização: 19/12/2014 17:24

Lorena Pacheco

Zuleika de Souza/CB/D.A Press
A cinco dias para a aplicação das provas, os candidatos a agente do concurso da Polícia Federal podem conferir a concorrência. Segundo a banca organizadora, 98.101 candidatos vão disputar, no próximo domingo (21/12), as 600 vagas abertas. Isso significa uma demanda de 163 candidatos por chance.

O Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/UnB) também publicou os locais de aplicação. Os exames terão duração de 5 horas e vão ter início às 14h.

Serão 120 questões de certo e errado (as matérias são: português, noções de informática, atualidades, raciocínio lógico, noções de administração, contabilidade, economia, direito penal, processual penal, administrativo, constitucional e legislação especial), e a redação deverá ser feita em 30 linhas, no máximo.

Os gabaritos oficiais preliminares devem ser divulgados pelo Cespe/UnB às 19h, do dia 23 de dezembro.

O concurso
Ao todo, são 600 vagas para o posto de agente, com remuneração de R$ 7.514,33. Podem participar candidatos com qualquer curso de nível superior. Do total de chances, 30 são reservadas a pessoas com deficiência. Outras 120 chances são destinadas a candidatos negros. Não há formação de cadastro reserva.

Além de provas objetivas e discursivas, o concurso ainda é composto por exame médico, avaliação psicológica e investigação social. Candidatos ainda farão curso de formação, de caráter eliminatório, a ser realizado no Distrito Federal em regime de internato.

Para conferir o edital na íntegra, clique aqui.

De acordo com o edital, para a escolha de lotação serão disponibilizadas vagas, preferencialmente, nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima e em unidades de fronteira.

Suspensão
O concurso foi suspenso em novembro, após a 1ª Vara Federal de Uberlândia/MG ter acolhido ação proposta pelo Ministério Público Federal (MPF), que pretendia garantir o acesso de pessoas com deficiência ao cargo. O documento pedia que o exame de aptidão física e o curso de formação fossem adaptados aos candidatos que concorrem dentro dessa reserva de vagas. Saiba mais aqui.

PESQUISA DE CONCURSOS