Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Especialistas analisam edital da Câmara Legislativa do DF

Edital saiu nesta segunda-feira (21/8), com 81 vagas para consultores e técnicos legislativos

21/08/2017 16:31 | Atualização: 21/08/2017 16:40

Camila Bairros*

Breno Fortes/CB/D.A Press
A Câmara Legislativa do Distrito Federal lançou seu edital de concurso público nesta segunda-feira (21/8) e agora é focar os estudos no que pede o regulamento. As provas estão marcadas para dias distintos de dezembro, ou seja, são menos de quatro meses para finalizar a preparação. Cada dia conta e estudar com dicas de especialistas na área já é meio caminho andado. Por isso, o Correio Braziliense conversou com professores da Lei Orgânica do DF (LODF) e de informática para ajudar os concorrentes dessa seleção que promete!

LODF

A Lei Distrital 5.768/2016 tornou obrigatória a cobrança da Lei Orgânica nos concursos do DF e, apesar de ser uma velha conhecida dos concurseiros brasilienses, trata-se de uma legislação muito extensa, o que pode levar o candidato a se perder em meio a tantos artigos e emendas. Mas, a banca foi camarada e especificou os conteúdos da LODF que serão cobrados para cada posto e o que fará a diferença é o foco, como explica o professor de LODF do Alub Concursos, Marco Soares. “O aluno deve estudar os conteúdos específicos para o cargo dele. O de técnico vai cobrar organização do DF e dos poderes e exposições gerais do Poder Executivo e Legislativo. Já os candidatos ao cargo de consultor terão que estudar, além do conteúdo cobrado a técnicos, dois assuntos que normalmente não são cobrados: tributação e orçamento e a ordem econômica do DF”.

A lei entrou no grupo de conteúdos específicos, com peso dois, ou seja, é importante duas vezes mais. Segundo o professor, a pontuação extra pode definir os candidatos que vão passar ou não no concurso. “Em uma prova como esta, não tem como abrir mão de estudar algum conteúdo, porque é um concurso muito concorrido. Mas como a banca diferenciou a pontuação, as matérias de peso dois vão fazer a diferença na nota”. Assim, o professor recomenda frisar os conteúdos específicos e, se possível, procurar um curso preparatório direcionado para a Câmara. “A prova da Câmara costuma cobrar conteúdos bem mais particulares que os outros concursos. Isso acontece até na redação, onde já cobraram minutas, que são informações exclusivas sobre o órgão”, aconselha.

Prova prática

Outra matéria que deve ter destaque na preparação a CLDF, no caso específico de técnico legislativo, é a informática. Ela não será cobrada nas provas objetivas de dezembro, mas haverá uma prova prática exclusiva da disciplina programada para o ano que vem. E mais, a etapa é eliminatória. Segundo o professor da área do IMP Concursos, Deodato Neto, informática será a disciplina com maior dificuldade para os candidatos. “Os concurseiros de Brasília não estão acostumados com prova prática na área de informática, nessa o aluno terá que fazer no mínimo 60 de 100 pontos para passar. A prova cobrará conhecimentos do sistema operacional Windows, formatação no Word e no Excel e teclas de atalho, assim o candidato precisará aplicar os recursos disponíveis para resolver as tarefas práticas propostas. Por isso é importante que os alunos já comecem a estudar o conteúdo desde agora”.

Para além dos computadores, como especialista em seleções públicas, Deodato acredita que ainda dá tempo de iniciar os estudos, apesar de o edital já ter sido lançado. “Agora é a hora de focar nos exercícios e refazer as provas da banca”, diz. O especialista ainda dá um bizu sobre o que será cobrado na matéria de realidade do DF, disciplina peculiar deste concurso: “o aluno deve focar em racionamento de água”. Fica a dica!

 

Saiba mais sobre o concurso: Câmara Legislativa do DF abre concurso com 81 vagas e salários de até R$ 15 mil 

 

 

* Estagiária sob supervisão de Humberto Rezende 


PESQUISA DE CONCURSOS