Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Mesmo após eliminação, FCC tenta organizar concurso da CLDF novamente

Seis empresas disputam o posto que será responsável por selecionar os novos servidores da Casa

24/01/2018 16:40

Lorena Pacheco

Breno Fortes/CB/D.A Press

A disputa entre as bancas examinadoras do concurso público da Câmara Legislativa do Distrito Federal está acirrada. Após a eliminação da Fundação Carlos Chagas (FCC) da organização da seleção em novembro do ano passado, seis empresas disputam o posto que será responsável por selecionar os novos servidores da Casa. 

A parte inusitada do processo, é que a própria FCC concorre novamente para organizar o processo seletivo. Procurada pela reportagem, a banca não respondeu até o fechamento da reportagem. As demais concorrentes são o Instituto Quadrix de Tecnologia e Responsabilidade Social, a Fundação de Apoio à Pesquisa, Ensino e Assistência à Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro (Funrio), o Instituto de Desenvolvimento Institucional Brasileiro (Idib); a associação civil Instituto AOCP; e o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe). 

Os destaques também vão para a Quadrix e para a Funrio, já que ambas foram as autoras da denúncia que tirou a FCC da organização inicial do concurso, e para o Cebraspe, que recentemente foi alvo de investigação policial com envolvimento de integrantes em uma máfia de concursos. 
 
A CLDF recebeu as propostas entre 2 e 15 de janeiro deste ano. Na ocasião da abertura desse prazo, a Câmara informou em comunicado, que a contratação seria sem custo para os cofres públicos, ou seja, o lucro da empresa organizadora virá somente das taxas de inscrição dos candidatos. A CLDF informou também que não haverá mudança no quantitativo de vagas do concurso (86 oportunidades) e que o calendário, que passará por adaptações, será divulgado oportunamente.

Eliminada

A eliminação da FCC do páreo se deu por determinação do Tribunal de Contas do Distrito Federal, após denúncia de bancas concorrentes, o Instituto Quadrix e a Funrio, que alegaram haver irregularidades na escolha da FCC como organizadora do certame. O TCDF, por sua vez, concordou ao entender que a escolha violou os princípios da isonomia, impessoalidade, motivação, moralidade, da seleção da proposta mais vantajosa, da legalidade e interesse público.
 
O cronograma e as inscrições do concurso estavam paralisados desde 31 de agosto de 2017, quando o Tribunal pediu a suspensão cautelar do concurso público.
 
Conforme o edital, lançado em 21 de agosto, as inscrições seriam realizadas no período entre 14 de setembro a 16 de outubro e as provas aplicadas em 10 e 17 de dezembro de 2017.  As chances são para candidatos com nível médio e superior com salários de até R$ R$ 15.879,40.

Saiba mais em: Mesmo com concurso da CLDF anulado, candidato deve intensificar os estudos, diz professor 


PESQUISA DE CONCURSOS