Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

Especialista comenta por que 2019 será um bom ano para concursos

De acordo com o professor de Administração Financeira Orçamentária do Gran Cursos Online, Anderson Ferreira, 2019 promete boas oportunidades no serviço público

18/01/2019 12:09 | Atualização: 18/01/2019 14:23

Mariana Fernandes

USP Imagens/Divulgação
Após sancionada a Lei Orçamentária Anual (LOA) sem vetos em relação às vagas previstas para concursos públicos em 2019 , mais 48 mil postos geram expectativa entre os concurseiros. Para explicar este cenário, o Correio conversou com o professor de Administração Financeira Orçamentária do Gran Cursos Online, Anderson Ferreira, que está otimista e acredita, inclusive, na possibilidade de surgirem mais vagas e seleções do que as já previstas e autorizadas. Confira:




Como será 2019 em relação a concursos públicos?

Acredito que 2019 será um bom ano para concursos. A LOA sancionada sinaliza isso com as mais de 48 mil vagas e também com o fato de estarmos vindo de uma crise econômica muito acentuada. Como a economia é cíclica, depois de um período de muita queda e de recessão, é natural que o país volte a crescer. E a economia melhorando, que inclusive é uma promessa do novo governo, o Brasil volta a ter uma maior capacidade de contratação e preenchimento de cargos vagos.

 

Eu diria também que essas mais de 48 mil vagas sancionadas representam até uma medida conservadora do governo. Pois a LOA pode ser retificada por créditos adicionais e mais contratações do que estas divulgadas. Por isso, podem surgir, novas seleções.

Exemplo disso é o próprio concurso da Ministério Público da União (MPU) no ano passado que não veio previsto na LOA publicada e ainda assim aconteceu. Ou seja, se confirmada a recuperação econômica, outros concursos podem aparecer além dos previstos.

 

Se a reforma da previdência avançar no Congresso Nacional também melhora a situação dos concursos públicos no país. Todos os servidores que hoje tem condição de se aposentarem vão dar entradas nos pedidos e, com isso, surgirão novas vacâncias. Então por vários fatores, esse quantitativo tende a aumentar.

Com a economia se recuperando e a reforma da previdência passando, os órgãos que precisam de contratação vão poder solicitar novas vagas , que serão analisadas pelo Ministério da Economia e podem ser atendidos. Sem contar que os órgãos do Judiciário, Ministério Público e Legislativo e a própria Defensoria Pública da União não dependem desse processo junto com a pasta da Economia. A qualquer momento então, o Senado pode anunciar um concurso além desse quantitativo divulgado na LOA, por exemplo.

Quais concursos os candidatos podem esperar em breve?

Eu diria que os concursos que mais ganharão destaques no primeiro trimestre são os de carreira policial. Aqui no DF, inclusive, já são 300 vagas autorizadas para a Polícia Civil. E também para as Forças Armadas que, nitidamente,tem uma prioridade por ser uma área de segurança e defesa. Além disso as áreas de fiscalização e controle, que são os fiscos estaduais e municipais. E ainda os tribunais de contas em geral. Isso por que  o governo atual vem anunciando desde o ano passado, em campanha, que pretende combater a corrupção, por exemplo. Isso sinaliza uma prioridade em concursos nas áreas de Forças Armadas, carreiras policiais, carreiras fiscais e de controle.

 

Aqui no DF eu destaco o concurso da Secretaria de Fazenda do DF, para auditor fiscal, pro Tribunal de Contas do DF e pra Controladoria Geral do DF também. São concursos que estão no forno, já são autorizados e estão avançados nas etapas do processo e a qualquer momento deve sair o edital.

Como se preparar pro que está por vir?

Os candidatos devem focar em uma área. Não necessariamente em um só concurso, mas sim em uma área. Por exemplo, escolher as carreiras policias ou as carreiras fiscais, ou tribunais. Por que a cada prova vai mudar pouca coisa em uma rota dessas. Então, o caminho fica mais fácil.

 

A partir disso, é necessário montar um bom planejamento. Isso significa verticalizar um edital, conhecer bem o último edital do concurso, entender que a ordem do edital nem sempre é a melhor ordem pro estudo. Por isso uma orientação técnica de um professor ou um coach é fundamental também.

 

Montado esse plano de estudos, é necessário um bom material teórico, seja em vídeo-aula ou PDF. E também, resolver muitas questões da banca examinadora daquele certame. Se o concurso ainda não foi autorizado, deve se basear no último edital, com a última banca.

 

Resumindo, o essencial é definir seu objetivo, montar um plano de estudos, ter um bom material teórico e um ciclo bem disciplinado. É importante também equilíbrio e cuidado com a saúde física e mental para no dia da prova ter uma alta performance.

Confira a previsão de concursos na LOA:

Poder Legislativo

Câmara dos Deputados – 324 cargos, sendo 127 cargos a serem criados e 197 para provimento,

Senado Federal – 40 para provimentos 

Tribunal de Contas da União (TCU) – 20 cargos

Poder Judiciário

Supremo Tribunal Federal (STF) – 38 cargos

Superior Tribunal de Justiça (STJ) – 50 cargos

Tribunal Regional Federal (TRF) – 925 cargos, sendo 625 para criação e 300 para provimento

Superior Tribunal Militar (STM) – 30 cargos

Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e Tribunal Regional Eleitoral (TRE) – 1.240 cargos, sendo 370 para criação e 840 para provimento

Tribunal Superior do Trabalho (TST) e Tribunal Regional do Trabalho (TRT) – 684 cargos, sendo 52 para criação e 632 para provimento

Conselho Nacional da Justiça (CNJ) – 6 cargos

Poder Executivo 

O poder Executivo representa com maior quantitativo. Estão no orçamento deste , 42.818 cargos, sendo 40.073 para provimento e 2.095 para criação.  Deste total,  11.493 postos não contam com especificações de órgãos ou cargos, mas a maior parte é para a área da educação, sendo 22.559 para o banco de professores equivalentes e quadro de referência dos cargos de e técnicos administrativos em educação.

Outros órgãos:

Ministério Público da União (MPU) – 10 vagas

Conselho Nacional do MPU – 2 vagas

Defensoria Pública da União (DPU) – 2.032 vagas

DF

Polícia Militar do DF – 947 provimentos

Polícia Civil do DF – 700 provimentos

Corpo de Bombeiros Militar do DF – 379 provimentos

Leia também: Concursos autorizados no DF somam 1.375 vagas e salários de até R$ 28 mil

Ibaneis diz trabalhar para lançar concursos das Forças do DF ainda em janeiro

 


PESQUISA DE CONCURSOS