Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Língua portuguesa a caminho do céu

15/04/2015 11:00

Santo de casa faz milagre? Há quem diga que não. Mas é confortável saber que lá no céu alguém entende a nossa língua. Assim, talvez num momento de folga, ele tenha um tempinho pra nos escutar. O mais novo candidato a vaga na casa do Senhor é Dom Hélder Câmara. Oba!

A notícia recebeu aplausos de norte a sul do país. Jornais, rádios e tevês divulgaram a novidade. As mídias sociais comentaram com entusiasmo a indicação. No arrebatamento, não deu outra. Trombaram na língua. "D. Hélder foi testemunho vivo da vontade de Deus", escreveram baianos, goianos, romanos e demais gêneros humanos.

Bobearam. Testemunho e testemunha jogam em times parecidos mas desiguais. Não se trata de diferença de sexo como menino e menina, garoto e garota, moço e moça. O masculino e o feminino mudam o significado das palavras. Testemunha é a pessoa. Testemunho, o depoimento: A testemunha deu seu testemunho na polícia. D. Hélder foi testemunha viva da vontade de Deus.

Palavras de mestre
"A utopia está no horizonte. Aproximo-me dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho 10 passos e o horizonte se distancia 10 passos mais além. Para que serve a utopia? Serve para isso: para caminhar." (Eduardo Galeano)

Passeatas
Domingo as ruas se vestiram de verde-amarelo. Outra vez, o povo saiu de casa pra protestar contra o governo, a corrupção, a carestia. Pais e filhos exerceram a cidadania no asfalto. Muitos carregavam faixas. As reivindicações eram muitas. Entre elas, duas sobressaíam. Uma: exigia o impeachment da presidente Dilma. A outra: alertava as pessoas para a responsabilidade do voto.

Ambas lançaram mão do vocativo: "Fora Dilma" e "Acorda eleitor". Viu? Os autores se esqueceram de pormenor pra lá de importante. O ser a quem nos dirigimos não faz parte dos termos da oração. Não são essenciais, integrantes nem acessórios. Pra lá de elitista, o chamamento não se mistura jamais. Por isso a vírgula o separa sempre — sempre mesmo — sem exceção: Fora, Dilma. Acorda, eleitor.

Superdica: na dúvida, recorra a macete infalível. É vocativo? Não é vocativo? Anteponha o ó ao termo. Se o pequenino fizer bonito, tenha a certeza. Convoque a vírgula sem susto: Fora, ó Dilma. Acorda, ó eleitor. (Ó) Pai Nosso, que estais no céu / santificado seja o Vosso nome / Venha o nós o Vosso Reino / Seja feita a Vossa vontade / Assim na Terra como no céu. (Ó) Santo Anjo do Senhor, / Meu zeloso guardador …

Vai mal

Joaquim de Freitas escreve: "Espero que tudo esteja bem com você. Mas, com o jornal, acho que a coisa vai muito mal, sobretudo no que se refere à última flor do Lácio. Pois não é que ontem me deparei com esta frase: "Caso fosse vivo, o poeta Charles Baudelaire completaria 194 anos hoje". (!!!) Não há um dia que eu não veja algo atentatório à nossa língua, mas essa é excessiva. Veja que, na terça-feira 7, estava escrito que, nesse dia, Billie Holiday faria 100 anos. Fazer 100 anos não é para qualquer um, mas atualmente não é grande novidade assim, mas dizer que alguém faria 194 — "caso fosse vivo"... O problema é que as novas gerações de redatores nunca se debruçaram numa gramática para entender o uso dos tempos e a lógica do que escrevem. Pior que essa, só em 2006, quando se lia que Mozart "completaria hoje 250 anos". Não é o caso de ser purista, óbvio, mas exige-se de um periódico, sobretudo de um desse porte, o uso minimamente correto e lógico da língua, concorda?"

Leitor pergunta
Certa vez, escrevi para uma pessoa a seguinte frase: "deve estar havendo desencontro de informação". Fiquei na dúvida no "deve estar havendo" ou seria "deve está havendo?" Qual seria a forma correta?

Francisco Chagas, lugar incerto

Guarde isto, Francisco. Está é a 3ª pessoa do singular do presente do indicativo (eu estou, ele está, nós estamos, eles estão). Estar é o infinitivo. Ele detesta a solidão. Anda, por isso, sempre acompanhado de auxiliar: vou estar, deve estar, pode estar.

Viu? Sua dúvida se refere ao emprego do infinitivo. O verbo estar vem acompanhado do auxiliar deve. Nota 10 para o seu texto: Deve estar havendo desencontro de informação.

PESQUISA DE CONCURSOS