Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Evite 'não' e 'mas'; programe seu cérebro para atingir objetivos

08/05/2015 13:02 | Atualização: 08/05/2015 13:06

Você sabe o que é Programação Neurolinguística? Também conhecida como PNL, ela é um conjunto de técnicas de controle da mente, muito útil para se aperfeiçoar.

Ela também é muito interessante para quem está prestando concursos, afinal, um candidato que saiba aproveitar melhor o extraordinário potencial do cérebro certamente vai ter um incremento no desempenho na hora da prova.

A PNL segue o ditado do “querer é poder”, mostrando como podemos transformar nossa vontade em realidade, mudando atitudes, pensamentos e comportamentos.

No caso dos concursos isso envolve, entre outras coisas, falar ou se expressar de maneira adequada e utilizando palavras de acordo.

Por incrível que pareça, basta substituirmos algumas palavras por outras “cerebralmente corretas” que nosso desempenho vai melhorar.

Um exemplo é o “não”. O cérebro conecta a palavra à imagem do que não se quer. Imagens são mais fortes do que palavras e, por isso, imediatamente o cérebro vai focar nela.

Em vez de falar o que não quer, fale o que quer. Troque o “não quero levar bomba na prova” para “quero ter sucesso na prova”.

Outro exemplo é o “mas”, que também é uma forma de negativa. Ele deve ser trocado pelo “e”. Dessa forma você não nega a primeira frase que, em geral, é positiva, mas a reforça, acrescentando características.

Portanto “a prova foi boa, mas muito demorada” vira “a prova foi boa e muito demorada”. Uma pequena mudança que faz diferença até na postura que você assume ao pronunciá-la. A primeira é um pouco pesarosa. A segunda é mais animada e surpresa.

Costumo utilizar muito uma frase famosa de autor anônimo: “’eu gostaria’ nunca fez nada; ‘eu tentarei’ fez grandes coisas; ‘eu farei’ fez milagres.”

O “gostaria”, assim como o “devo” ou o “preciso”, pressupõe que o ambiente externo controla a sua vida. O “tentar” é a possibilidade, que permite falhas e, por isso, deve ser substituído por uma afirmativa. É ela que tem o poder de realização.

Muitas frases e palavras são foco da PNL. Deixamos apenas alguns exemplos que têm impacto e influência imediatamente.

Mas a PNL não é uma mágica ou um atalho para o sucesso. É a reunião de três fatores, que foram descritos pelos autores Joseph O’Connor e John Seymour em “Seminário de PNL em 3 minutos” (1995):

- saber claramente qual é seu objetivo
- estar alerta para observar o que está conseguindo
- ter flexibilidade para seguir mudando até conseguir o que quer

Assim, a PNL busca organizar nossos comportamentos usando a linguagem para se programar e também se comunicar com os outros. Ela trabalha a forma como assimilamos as informações, definimos objetivos, metas e trabalhamos as emoções.

Outras ferramentas usadas para aumentar o desempenho poderiam ajudar nessa tarefa, como, por exemplo, a leitura dinâmica ou a memorização otimizada.

O importante é quebrar a ilusão de que existe uma única ferramenta mágica que mudará tudo da noite para o dia.

Em resumo, passar em concurso é um projeto de médio a longo prazo que pede estudo, persistência e disciplina. Mas também vale muito a pena e, por isso mesmo, deve ser munido de todas as ferramentas disponíveis para que seja um projeto bem sucedido. A PNL é uma dessas ferramentas e, sem dúvida, será de grande valia na preparação. Portanto, mãos à obra!

 

William Douglas 


PESQUISA DE CONCURSOS