Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Ministério da Saúde cancela concurso com 748 vagas e é autorizado a abrir outras 583

De acordo com a publicação, o edital foi revogado por necessidade de adequações e aperfeiçoamento do edital

13/10/2014 12:22

Sílvia Mendonça

Wallace Martins/Esp. CB/D.A Press
O Ministério da Saúde cancelou, nesta segunda-feira (13/10), o concurso público com 748 vagas de nível médio e superior. De acordo com a portaria, publicada no Diário Oficial da União, a medida foi adotada por necessidade de adequações e aperfeiçoamento do edital. Quando lançado, em julho deste ano, o documento não apresentava o cronograma do certame. A lotação dos aprovados seria no Distrito Federal e Rio de Janeiro.

Ainda nesta segunda-feira, o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) autorizou, novamente, a abertura de novo concurso com 583 vagas para o Ministério da Saúde, com lotação no Instituto Nacional de Câncer (Inca). Em janeiro deste ano, o MPOG já havia publicado a mesma autorização, mas em setembro o MS pediu para que o prazo fosse estendido.

A banca organizadora do primeiro concurso era a Fundação Professor Carlos Augusto Bittercourt (Funcab). Os salários variavam de R$ 2.205,20 a R$ R$ 6.648,15. Do total de chances 181 eram para lotação na capital federal. Do total das vagas 20% foram reservadas para negros e 5% para deficientes.

Quem possui nível superior poderia disputar o cargo de analista em C&T sênior para as áreas de atuação em desenvolvimento institucional, tecnologia da informação, administração pública, gerenciamento de dados de pesquisa de câncer, cooperação internacional, engenharia clínica, engenharia de infraestrutura (arquitetura), engenharia mecânica, engenharia civil, administração hospitalar, administração pública, jornalismo, publicidade e propaganda, entre outras áreas.

Havia ainda o cargo de tecnologista sênior nas áreas de biólogo, biomédico e medicina (endoscopia, oftalmologia, urologia, emergência pediátrica, cirurgia plástica, etc). Já o cargo de tecnologista pleno nas áreas de biologia, nutrição clínica, nutrição em produção, oncologia, enfermagem, serviço social, programas educacionais em saúde, prevenção e controle de câncer, política nacional de controle do tabaco, medicina (dermatologia, radioterapia, hematologia, hemoterapia, radiologia, etc). E o cargo de tecnologia júnior, para as áreas de biologia, física, terapia ocupacional e medicina (anestesiologia, cancerologia, cirurgia cabeça e pescoço, cirurgia vascular, clínica médica, emergência, infectologia, intensiva, mastologia, neurologia, radioterapia, etc).

Para nível médio o cargo era o de assistente em C&T, para área de apoio técnico administrativo. Para concorrer ao posto ainda era exigido experiência de no mínimo um ano am atividades técnico-administrativas. O cargo de técnico também exigia nível médio para atuação como técnico de hemoterapia, radioterapia, enfermagem, análise clínica, prótese dentária, anatomia, laboratório, farmácia, entre outros.

PESQUISA DE CONCURSOS