Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Aeronáutica abre primeiro concurso para preparação de cadetes mulheres em mais de 60 anos

A seleção, porém, reserva apenas 20 das 180 oportunidades abertas

31/05/2016 11:42 | Atualização: 01/06/2016 09:21

Lorena Pacheco

Assim como o Exército, que demorou mais de sete décadas para abrir o primeiro concurso da linha militar bélica para mulheres, e ainda com exceções, a Aeronáutica abriu sua primeira seleção pública para formação de cadetes femininas após 67 anos –a Escola Preparatória de Cadetes do Ar (Epcar), da Força Aérea Brasileira, com sede em Barbacena/MG, funciona em regime de internato apenas para homens desde 1949. Apesar do avanço tardio, a seleção reserva apenas 11% do total de vagas para candidatas (20 chances de 180) e, segundo o edital, caso todas as vagas oferecidas para mulheres ainda não sejam preenchidas, elas serão completadas pelos candidatos do sexo masculino, dentre os candidatos considerados com aproveitamento.

De acordo com a assessoria da Aeronáutica, a Epcar é a primeira das três escolas preparatórias das Forças Armadas a admitir mulheres em todos os anos do Ensino Médio. “A primeira turma de alunas do sexo feminino representa o embrião de um processo. A escola precisou se preparar, tanto em infraestrutura quanto em recursos humanos, para oferecer às jovens um ambiente adequado e com toda a segurança necessária”. Ainda segundo a assessoria, desde 1996, a FAB forma oficiais mulheres na Academia da Força Aérea e atualmente já ocupam o posto de major. A FAB também recebe, desde 2006, mulheres no curso de formação de oficiais aviadoras e “algumas delas, inclusive, são pilotos de caça”.

Leia também:
Após mais de 70 anos, escola para cadetes do Exército abre primeiro concurso para mulheres

Rodrigo Nunes/Esp. CB/D.A Press
Débora, Camila e Júlia, todas de 14 anos, pretendem prestar o concurso e fazem cursinho para ingressar na escola da Aeronáutica. 'Sempre tive interesse na área militar. Estou superconfiante', disse Débora
O concurso

As inscrições se encerraram nesta segunda-feira (30/5). Para participar a seleção, o candidato deve ter concluído, ou estar em condições de concluir com aproveitamento, o Ensino Fundamental, além de não possuir menos de 14 nem completar 19 anos de idade até 31 de dezembro de 2017.

Haverá provas escritas, inspeção de saúde, exame de aptidão psicológica, teste de avaliação de condicionamento físico e validação documental.

As provas escritas vão ser realizadas nas cidades de Belém/PA, Recife/PE, Natal/RN, Salvador/BA, Rio de Janeiro/RJ, Belo Horizonte/MG, Barbacena/MG, São Paulo/SP, Pirassununga/SP, Campo Grande/MS, Curitiba/PR, Porto Alegre/RS, Brasília/DF, Manaus/AM, Boa Vista/RR e Porto Velho/RO, na data prevista de 24 de julho.

O curso será realizado em Barbacena, Minas Gerais e terá duração de três anos. As aulas serão equivalentes ao Ensino Médio regular. O objetivo é preparar jovens para o ingresso no Curso de Formação de Oficiais Aviadores da Academia da Força Aérea, em Pirassununga/SP.

Durante o curso, o aluno receberá remuneração (R$ 840), alimentação, alojamento, fardamento e assistência médico-hospitalar e dentária. Ao concluir, o aluno será considerado apto na inspeção de saúde, no teste de avaliação do condicionamento físico e no teste de aptidão para a pilotagem militar, podendo também concorrer ao número de vagas previsto à matrícula no primeiro ano do Curso de Formação de Oficiais Aviadores da Academia da Força Aérea.

Dicas

O professor de português do curso Cidades Valber Freitas garante que os candidatos devem se concentrar em estudar sintaxe, concordância verbal e nominal, crase, regência, período composto e simples. “Também costumam cair na prova o emprego das classes gramaticais, correlações verbais, conjunção e interpretação de texto”, afirma. Já em matemática, o professor do curso Meta Guilherme Vilela conta que os conteúdos de radicais duplos, polinômios, aritmética, função quadrática e afins, geometria semelhantes e áreas de figuras são bem recorrentes. “Para esse concurso, é necessária uma preparação específica, pois a linguagem é bem técnica e, para isso, deve haver uma disciplina de estudo”, alerta.

Yaron Segalovich é professor de inglês do curso Seleção e comenta que, pelo fato de a língua inglesa só estar presente na prova há dois anos, ela se enquadra no nível de dificuldade abaixo do intermediário. “Quem tem noção do idoma acaba se dando bem”, diz. “O aluno tem que saber as noções básicas de gramática, tempos verbais, números ordinais e cardinais e interpretação de texto”, afirma.

Passe bem/Português
*Observando os trechos a seguir, assinale aquele que apresenta uma correta análise sintática da oração adverbial sublinhada:

a) “Mas, segundo os especialistas que estudam o humor a sério, trata-se do maior segredo para viver bem. (Adverbial conformativa)

b) “Mas, mesmo sendo o resultado de uma combinação de ingredientes, pode ser ajudado com uma visão otimista do mundo...” (Adverbial consecutiva)

c) “Para se tornar um membro dos Doutores da Alegria, o ator passa num curioso teste de autoconhecimento: ...” (Adverbial causal)

d) “Mas, mesmo que não houvesse tantos benefícios no bom humor, os efeitos do mau humor sobre o corpo...” (Adverbial condicional)


Comentário: O gabarito é letra A, em virtude de a oração destacada ser introduzida por uma das principais conjunções subordinativas conformativas — segundo — e expressar ideia de conformidade em relação à oração principal.

*Questão retirada da prova da Epcar de 2015, comentada pelo professor de português Valber Freita

PESQUISA DE CONCURSOS