Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

GDF ainda não pode contratar novos servidores públicos

A receita líquida destinada ao pagamento de servidores ficou ainda mais comprometida

01/06/2016 10:08 | Atualização: 02/06/2016 09:59

Lorena Pacheco

Pedro Ventura/Agência Brasília
De acordo com o Relatório de Gestão Fiscal do 1º Quadrimestre de 2016, o Distrito Federal ainda está acima do limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal. Na verdade, a situação é um pouco pior do que na última avaliação: antes estávamos com 46,78% da receita líquida comprometida com o pagamento de servidores, agora o percentual aumentou para 47,08%.

A boa notícias é que ainda estamos abaixo do teto da LRF, que é de 49%, mas o GDF permanece impedido de contratar novos servidores (com exceção de reposição nos quadros de pessoal da Saúde, Educação e Segurança), de conceder reajuste salarial, de pagar horas extras (exceto a servidores da Saúde) e de alterar a estrutura de carreiras que aumentem as despesas.

De acordo com o governo, nos primeiros quatro meses deste ano, R$ 8,8 milhões foram destinados à folha de pessoal. O excesso de gastos começou a ser contabilizado no segundo quadrimestre de 2014, quando o governo passou de 45,96% da receita corrente líquida comprometida com pagamento de pessoal. Desde então, os concurseiros amargam uma fase de conta-gotas em lançamentos de concursos e nomeações. Para tentar aliviar o quadro, vale lembrar que houve a dispensa de mais de 4,1 mil servidores em cargos em comissão.

PESQUISA DE CONCURSOS