Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Concursos têm quase 20 mil vagas abertas em todo o país, em vários níveis

Apesar das restrições para o lançamento de processos seletivos, especialistas aconselham candidatos a continuarem os estudos

09/08/2016 09:14

Quem ambiciona ingressar no serviço público pode aproveitar as oportunidades oferecidas nos mais de 120 concursos que estão com inscrições abertas em todo o país. São 19.651 mil vagas para candidatos de todos os níveis de escolaridade.

Quem não quer sair de Brasília para tentar a carreira pública pode se inscrever nos quatro certames que estão abertos na a capital. São 779 vagas para o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal e 31 para a Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), das quais 10 são destinadas a candidatos de nível superior e 21, para nível médio, além de cadastro reserva. Já a Fundação de Previdência Complementar do Servidor (Funpresp-Jud) oferece 11 postos mais cadastro reserva. Os salários variam de R$ 4.722 a R$ 16.409.

Desde que concluiu o ensino médio, a estudante Monique Almeida, 19 anos, se dedica exclusivamente a estudar para concursos públicos. “Penso em fazer uma faculdade somente depois que conseguir uma vaga em alguns órgão do governo. Apesar de a situação dos concursos estar melhorando, ainda não tenho o privilegio de poder escolher qual fazer ou não. Até conseguir, vou continuar estudando”, afirmou.

Ansiedade
Na avaliação de Gabriel Granjeiro, diretor pedagógico do Gran Cursos Online, apesar da pouca oferta de vagas para Brasília, as pessoas devem manter a preparação, pois o momento econômico do país faz muitos brasileiros verem no setor público uma oportunidade para melhorar de vida, acirrando a disputa por uma vaga. “O desemprego e a crise nas empresas privadas incentivam o aumento da concorrência. Por isso, além de manter o foco nos estudos, é preciso estar atento às atualizações e prestar muita atenção na leitura do edital”, aconselhou.

Apesar de a ansiedade para ingressar na carreira pública impulsionar o número de inscrições nos certames, muitos concurseiros fazem questão de aguardar uma oportunidade para a carreira que realmente desejam seguir. É o caso do administrador Guilherme Abreu, 32 anos, que sonha em se tornar policial. Enquanto a oportunidade não sai, ele mantém a dedicação aos livros. “O cenário para concursos não é dos melhores, mas continuarei estudando até alcançar meu objetivo, não me permito outra opção”, destacou.

De acordo com Anderson Ferreira, professor da IMP, mesmo com a diminuição da oferta de vagas, devido à necessidade de conter gastos, há uma constante necessidade de manutenção da máquina publica. “Os cargos que ficam desocupados devido a aposentadoria, falecimento de servidores ou outros motivos, precisam ser preenchidos. Em função disso, existe uma necessidade mínima de reposição de funcionários”, explicou.

PESQUISA DE CONCURSOS