Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Mais de 33 mil ingressaram no Executivo Federal por meio de concurso nesse ano

Novo portal do Ministério do Planejamento mostra dados de pessoal do governo federal. Nele, pode-se verificar, por exemplo, que só neste ano R$ 18 bilhões foram gastos com folha de pessoal e mais de 70% desse valor pertence a apenas um órgão federal

22/06/2017 16:40 | Atualização: 28/06/2017 12:15

Lorena Pacheco

USP/Imagens/Divulgação
Entre janeiro e maio deste ano, o governo federal admitiu em seu quadro de pessoal 33.266 novos funcionários por meio de seleções públicas. Desse total, 7.018 foram contratados por meio de concurso público e 26.248 por processos seletivos. O mês de março apresentou maior número de admissões, com 19.337 novos funcionários, a maioria deles ingressaram por meio de processo seletivo no Ministério da Saúde (9.624).


Os dados estão disponíveis a partir desta quinta-feira (22/6) para consulta de qualquer cidadão no Painel Estatístico de Pessoal (PEP), o novo portal eletrônico do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, que reúne informações estatísticas de pessoal do Executivo federal deste ano.

Nele é possível ver que, somente no mês de maio, o governo gastou mais de R$ 2,6 bilhões para custear as despesas de pessoal dos 656.490 servidores civis ativos. Fazendo as contas, em média um servidor custa por mês cerca de R$ 13 mil aos cofres públicos.

Mas a desigualdade de salários entre os servidores é evidente. A menor remuneração paga em maio foi de R$ 1.280 - pouco mais que um salário mínimo atual, que hoje custa R$ 937 -, ao cargo de nível auxiliar do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE); enquanto um médico ganhou o maior valor, de R$ 29.133,55 como remuneração final do plano de carreira de técnico administrativos em Educação.

Também podemos verificar o número de aposentadorias. Somente neste ano, 12.953 servidores vestiram os pijamas e deixaram seus cargos vagos para novas contratações. Em janeiro e fevereiro, as forças de segurança do Distrito Federal que são custeadas pelo Fundo Constitucional (policiais Civil e Militar e Corpo de Bombeiros) lideraram as aposentadorias, totalizando 1.288 servidores nesse período. Nos meses seguintes até maio a liderança passou para o Ministério da Saúde, que totalizou 1.238 baixas nesse trimestre.

Exército

Em 2017, foram gastos R$ 96,16 bilhões com pessoal do Executivo Federal e o Comando do Exército lidera as despesas em todos os meses, totalizando R$ 13.643.493.765,64. A maioria é para pagamento de vencimentos e vantagens fixas, seguidas por aposentadorias, pensões, gratificações, sentenças judiciais, contratações por tempo determinado, entre outros itens.

Nesse ranking, o Exército é seguido pela Marinha, Ministério da Fazenda e Aeronáutica.


Acesse

De acordo com o Planejamento, as informações do PEP dizem respeito à Despesa de Pessoal Anual e Mensal dos Poderes da União (Executivo, Legislativo e Judiciário), MPU e do Distrito Federal, incluindo Administração Direta, Autarquias, Fundação, Empresas Públicas, Sociedades de Economia Mista, Banco Central e FCDF (Fundo Constitucional do Distrito Federal). Os dados são sobre servidores ativos, aposentados e instituidores de pensão. Acesse o PEP aqui.

PESQUISA DE CONCURSOS