Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Especialistas reforçam principais pontos para garantir uma vaga no TRF da 1ª Região

São 20 chances para técnico judiciário e analista judiciário. Salários variam de R$ 6.376,41 a R$ 10.461,90

11/09/2017 09:30 | Atualização: 11/09/2017 12:22

Mariana Fernandes / Camila Bairros*/

Arquivo pessoal
Professor de direito administrativo e administração pública do Gran Cursos Online, Bruno Eduardo Martins
O edital para o concurso público do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) foi lançado e o momento agora é de triplicar a atenção para garantir uma vaga. O professor de direito administrativo e administração pública do Gran Cursos Online, Bruno Eduardo Martins indica que os candidatos devem estar preparados especialmente para a prova do Cebraspe, que é uma banca tradicional em Brasília. “Não adianta sorte, é preciso conhecer o conceito técnico dos conteúdos, pois a organizadora seleciona quem estuda, não os aventureiros”, afirma.

Além de todo o estudo e preparação para o dia da seleção, o candidato também deve ter uma atenção especial durante a prova. “O Cebraspe tem fator de correção, então a dica que eu dou é: não chutem as questões que vocês não têm certeza. É normal não saber entre 10% e 20% das questões, então as deixe em branco. Sempre sugiro aos meus alunos a marcarem no máximo umas 108 questões. Para se acostumar com esse tipo de prova, refazer as avaliações da banca também é válido, principalmente de concursos para a área judiciária”.

Como as provas para técnico e analista vão ocorrer em turnos diferentes, é possível tentar uma vaga em ambos os cargos. Porém, na opinião de Martins, apesar de a parte básica para nível superior e médio ser praticamente a mesma, o candidato deve focar em apenas uma prova. “Os editais têm muitas semelhanças, mas a parte específica de nível médio está mais puxada para a área jurídica, e a de nível superior para a administrativa. Ao fazer as duas provas, o aluno vai acabar estudando superficialmente os conteúdos, acho mais interessante escolher um cargo e focar nos estudos dele”.

Arquivo pessoal
Professor de informática do Alub, Fabrício Melo
Sobre a existência de poucas vagas imediatas para o Distrito Federal,  o professor de informática do Alub, Fabrício Melo, afirma que as chances são melhores do que parecem já que o órgão costuma chamar muitos aprovados em cadastro reserva. “São apenas 20 vagas efetivas para candidatos de todo o país e duas para Brasília, isso acaba desestimulando o candidato que não tem muito conhecimento sobre o certame. Quem acompanha o concurso, já sabe que o órgão costuma chamar o pessoal que foi aprovado para cadastro reserva”.

Apesar de informática não ser uma disciplina cobrada como conhecimentos gerais deste certame, o cargo de analista terá uma área específica para este conteúdo. “Para quem quer concorrer à área de informática é importante estudar muito, apenas os estudos regulares de todos os concursos não basta, tem que focar em programação, banco de dados e informações de rede. A prova é muito puxada, se iguala à de perito, por isso acaba sendo um cargo menos concorrido”.

Para Melo, apesar do recente escândalo de fraudes envolvendo o Cebraspe, isso não deve atrapalhar a seleção e a organizadora deve dobrar sua segurança para não ser condizente com polêmicas. Ainda segundo o professor, a banca é a melhor em questão de conteúdo e de entendimento das questões. “Acredito que as questões de português farão a diferença. Normalmente os alunos acabam focando mais no conteúdo de direito para concursos, e acabam esquecendo das matérias básicas”.

Dedicação é a palavra-chave para quem quer garantir uma vaga. Este é o caso de  Matheus Vinicius. Formado em história, é concurseiro desde janeiro do ano passado. Com o lançamento do edital do TRF 1, ele, que também está se dedicando aos concursos do TST e da CLDF, afirma que vai se inscrever para mais esta seleção. “Eu estou receoso devido ao número de vagas, já que são apenas duas para o Distrito Federal, mas participarei sim”.
 
Para conciliar o trabalho e os estudos, Matheus mantém uma rotina organizada. Ele trabalha em um curso preparatório de concursos pela manhã, depois vai para a sala de estudos para se preparar pra os certames e ainda assiste aula no turno da noite. Quando chega em casa ainda revisa todo o conteúdo. “Não estou muito preocupado com a concorrência, por trabalhar em um curso preparatório, sei que uma grande parte dos candidatos que se inscrevem, não estuda o bastante e faz a prova na sorte mesmo. Eu não estou totalmente preparado, mas estudo muito pra conseguir obter sucesso”.

Diferencial


Esse concurso é sempre muito aguardado e disputado em virtude da boa remuneração, mas também pela possibilidade dos candidatos poderem trabalhar em diversos estados. Segundo o professor de direito constitucional do Gran Cursos Online, Wellington Antunes, 
como a 1ª Região abrange 14 estados, isso é um atrativo já que o candidato,obedecendo a alguns requisitos, pode mudar de estado depois de aprovado.  "Isso é um diferencial em relação a outros concursos, como o do Tribunal Superior do Trabalho, em que é necessário permanecer na mesma localidade", comenta. 

O alto número de vagas de cadastro reserva  também não é uma surpresa. Isso, segundo ele é uma evidência de que a administração pública busca não se comprometer. Assim, lança um número reduzido de vagas imediatas e um alto número de cadastro para utilizar durante o prazo de validade do concurso. "Normalmente há expressivas nomeações dentro do cadastro. A expectativa de nomeações é muito boa. Espera-se uma grande de convocações em virtude das vagas atuais e das ampliação das atribuições de trabalho". 

Um outro detalhe chama a atenção neste edital. Há uma previsão de que os candidatos podem ser nomeados para outros órgãos do poder judiciário da União. "Isso é muito bom, amplia ainda mais a possibilidade de nomeações. Ou seja, ela pode ser aprovado para o TRF, mas pode ser chamado para um õrgão da justiça do trabalho, para um órgão da justiça eleitoral entre outros", afirma.

O fato de a prova estar prevista apenas para o final de novembro também gera vantagens. "Há ainda muito tempo para preparação. É necessário que o candidato organize um plano de estudos com , principalmente três pilares básicos: estudo da teoria, estudo por meio de exercícios e revisão", diz. Ele lembra também que o próprio Cebraspe possui um banco de provas passadas disponível e que auxilia muito na preparação.

O concurso 

O concurso oferece 20 vagas imediatas para cargos de níveis médio e superior.  As chances são para técnicos judiciários e analistas judiciários, com salários que variam de R$ 6.376,41 a R$ 10.461,90, para 40 horas semanais. O Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) foi escolhido para organizar o certame. 

Além das chances imediatas, outros 6.798 candidatos poderão fazer parte do cadastro reserva para convocações a longo do prazo de validade do certame, que será de dois anos, podendo prorrogar por igual período. 

Os interessados podem realizar as inscrições no período de 13 de setembro a 3 de outubro por meio do site www.cespe.unb.br. A taxa é de R$ 86 para nível superior e R$ 75 para nível médio.

Os candidatos serão submetidos a provas objetivas, discursiva, prática e de aptidão física de acordo com o cargo pretendido.  As provas objetivas e a prova discursiva para os cargos de nível superior terão a duração de 4 horas e 30 minutos e serão aplicadas na data provável de 26 de novembro de 2017, no turno da manhã.  Já as provas objetivas para nível médio terão a duração de 3 horas e 30 minutos e serão aplicadas na mesma data, no turno da tarde. 

Para o Distrito Federal a maior parte das chances são de formação de cadastro reserva. Apenas o cargo de analista judiciário, da área judiciária, reserva 2 vagas imediatas. 

O Tribunal, com sede no Distrito Federal, dispõe ainda de jurisdição nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Piauí, Rondônia, Roraima e Tocantins. 



PESQUISA DE CONCURSOS