Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

"Dá para passar no INSS se começar a estudar agora", acredita especialista

Seleção abriu 950 vagas, de nível médio e superior, nesta quarta-feira (23/12

23/12/2015 12:20 | Atualização: 23/12/2015 15:04

Lorena Pacheco

Ed Alves/CB/D.A Press
O lançamento do edital do concurso público do Instituto do Seguro Social (INSS) alegrou os concurseiros de todo país, mas agora é hora de focar na preparação. De acordo com Gabriel Granjeiro, diretor pedagógico do Gran Cursos Online, é possível passar na seleção se os candidatos começarem a estudar agora. “As provas serão aplicadas só em maio, o prazo é longo entre o lançamento do edital e a aplicação dos exames, isso é raro de acontecer no mundo dos concursos. Então dá para estudar, exercitar e ainda freqüentar cursinho preparatório”, aconselha.

O especialista acredita que a concorrência deve superar o número de inscritos registrados no último concurso no instituto, em que mais de 900 mil pessoas queriam ser técnicas do seguro social. “É um concurso de nível nacional, com muitas vagas. Ainda não tivemos uma seleção com esse porte nesse ano. Provavelmente é o concurso mais aguardado dos últimos dois anos e deve registrar mais de um milhão de candidatos devido a vários fatores, principalmente a falta de vagas no serviço público atualmente”.

Sobre o conteúdo, o especialista é enfático ao dizer que se trata de um edital enxuto, com poucas matérias. “O que será cobrado está dentro das expectativas dos concurseiros. Tirando alguns tópicos que foram incluídos, como crimes contra a seguridade social, o regulamento é bem parecido com o edital passado. Sem esquecer as demais disciplinas, os candidatos devem se atentar à matéria de direito previdenciário, pois corresponde a mais de 50% dos pontos e, portanto, vai definir quem vai ser aprovado ou não - poucas pessoas têm familiaridade com o tema porque não é cobrado em muitos concursos”.

Granjeiro ainda aposta que o fato de a seleção não cobrar redação faça com que a prova objetiva seja mais competitiva, “a nota de corte deve ser maior”, alerta o especialista. Saiba mais sobre o concurso aqui.

PESQUISA DE CONCURSOS