Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Com salários de até R$ 27 mil, concursos oferecem mais de 36 mil vagas

Existem 141 seleções abertas

13/01/2016 09:15 | Atualização: 13/01/2016 09:33

Mariana Areias - Especial para o Correio

Minervino Junior/CB/D.A Press
Salas cheias nos cursinhos: professores comemoram reversão da expectativa de queda no número de estudantes este ano
Os concurseiros têm bons motivos para começar 2016 mais motivados. Existem 141 seleções públicas com inscrições abertas no país, que reúnem 36.547 vagas, fora cadastro reserva, em cargos de todos os níveis de escolaridade. Os salários chegam a R$ 27.500,17 no Ministério Público do Rio de Janeiro e no Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região, em Minas Gerais. Destaque ainda para o Tribunal do Trabalho da 8ª Região, que abriu 28 vagas para técnicos e analistas e para o Tribunal de Contas de Santa Catarina, com 50 vagas para auditores.

A quantidade de oportunidades que surgiram neste início do ano superou as expectativas dos que desejam se tornar servidores. Para Maria Thereza Sombra, diretora executiva da Associação Nacional de Proteção e Apoio aos Concursos (Anpac) a motivação para tentar um posto na administração pública cresceu devido à crise econômica. Ela explica que o país perdeu mais de 1 milhão de empregos formais em 2015, e a renda dos trabalhadores caiu. “Nestas condições, nenhum certame pode ser desprezado, já que as instituições visam fornecer estabilidade e bons salários”, completa.

O professor de Direito Constitucional, Junior Vieira, considera que, nas condições econômicas atuais, a vantagem de ser servidor público é a estabilidade. “Sendo funcionário público, o cidadão sofre com inflação, mas não com desemprego. E isso, todo mundo está buscando”. Para ele, os concursos do ano serão INSS e Polícia Federal.

Com salas de aula cada vez mais cheias, o professor comemora que a queda de procura de cursinho, prevista para este ano, foi contrariada. “Domingo eu dei uma aula com mais de 170 alunos. Não estávamos contando com isso, e sim com a crise refletindo nos cursinhos”, relata.

Muitos se empolgaram com a oferta de vagas e de concursos e começaram ou retomaram os estudos, por isso, Junior Vieira acredita que a demanda cresceu. Ele aconselha, no entanto, que os estudantes tenham foco. “O concurseiro não pode pensar em fazer todos os concursos sem avaliar o que mais atende suas necessidades”.

Além das vagas abertas, há oportunidades para formação de cadastro de reserva, aqueles em que os candidatos aprovados são chamados conforme haja oportunidade durante a validade da seleção. A advogada especialista em concursos públicos, Thaisi Jorge, alerta, entretanto, que é mais seguro passar dentro do número de vagas. “Na situação em que estamos, não se sabe quando haverá convocação dos que estão na reserva”, explica.

Para ela, a procura pelas oportunidades vem muito mais da necessidade do que da vocação. “Isto é um problema na medida em que pensam muito mais na estabilidade e no dinheiro do que nas condições de trabalho”, completa.

Hospitais
Os interessados em uma das 951 vagas na Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) precisam se apressar, pois as inscrições terminam amanhã. As oportunidades são para níveis médio e superior nas áreas médica, assistencial e administrativa, em hospitais de diversas unidades da federação, inclusive no Distrito Federal. Os salários variam de R$ 1.863,48 a R$ 12.375,53. A prova objetiva está prevista para 21 de fevereiro.


PESQUISA DE CONCURSOS