Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Polícia prende cinco suspeitos de fraudar concurso para delegado em Goiás

Candidatos teriam pago valores entre R$ 120 e R$ 395 mil à quadrilha para garantir uma das 36 vagas

13/03/2017 11:50 | Atualização: 13/03/2017 13:18

Fernando Caixeta - Especial para o Correio

PCGO/Reprodução
 
Cinco pessoas foram presas neste domingo (12/3), suspeitas de fraudar o concurso para delegado substituto da Polícia Civil de Goiás. Entre os detidos, estão quatro candidatos que teriam pago valores que variam entre R$ 120 e R$ 395 mil em troca de uma das 36 vagas para o cargo. A Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Administração Pública (Dercap), com sede em Goiânia, está à frente das investigações, mas não repassou detalhes.

O Ministério Público de Goiás (MPGO) também investiga o caso. Segundo a assessoria de imprensa do órgão, o MP ainda está na fase da oitiva dos reclamantes e deve marcar uma reunião, ainda nesta semana, com o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), banca organizadora do certame.

A segunda fase da prova, com questões discursivas, foi realizada neste domingo (12/3), mas a Dercap não informou se os candidatos suspeitos de fraudar o concurso fizeram ou não a prova. A assessoria de imprensa da Polícia Civil goiana marcou uma entrevista coletiva para as 14h e disse que os detalhes do caso serão repassados pelos delegados da Dercap, André Botezini e Rômulo Figueiredo.

Alguns candidatos desse concurso já haviam levantado a hipótese de fraude no Fórum de discussão do CorreioWeb. Os denunciantes apontaram uma grande quantidade de notas superiores a 90 pontos, em uma prova que tem como característica o alto nível de dificuldade e a perda de 0,25 ponto a cada questão errada. Para acompanhar esta e outras discussões clique aqui.

A Secretaria de Gestão e Planejamento de Goiás (Segplan), responsável pelas autorizações de concursos públicos e orçamento do estado, aguarda informações detalhadas da Polícia Civil sobre o certame. O órgão irá avaliar, juntamente com a PCGO e a Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP), a continuidade do concurso.

Por meio de nota, o Cebraspe disse ao Correio que a segurança dos eventos que realiza é uma prioridade da instituição e que as medidas de controle de irregularidades em concurso são alvo de constante aperfeiçoamento. A empresa esclareceu que, caso seja constatado processo ilícito em qualquer seleção sob responsabilidade do Centro de Seleção, será aplicada penalidade cabível. O Cebraspe também informou que contribui continuamente com os órgãos de controle, a fim de garantir a legalidade de a isonomia em todos os eventos que realiza.

PESQUISA DE CONCURSOS