Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Apesar de crise, mais de 122 mil querem trabalhar na Petrobras

Os candidatos serão testados no dia 8 de março

09/02/2015 15:09 | Atualização: 10/02/2015 15:35

Lorena Pacheco

PAULO WHITAKER
Mesmo vivendo a maior crise da história da estatal, 122.750 candidatos se inscreveram na seleção pública aberta pela Petrobras. A concorrência média é de 2.611 pessoas por vaga imediata – o concurso ainda oferece mais 2.655 chances para formação de cadastro reserva. O cargo com o maior número de participações foi o de profissional júnior em administração, lotação nacional, com 14.667 inscrições.

Segundo Solange Musa, gerente executiva de Recursos Humanos da Petrobras, a grande procura por emprego na estatal se deve ao status que a petroleira sustenta, apesar do escândalo de corrupção. "A Petrobras Distribuidora é líder no mercado de distribuição, com 44 anos de atuação e fundamentos sólidos. Além disso, faz parte da maior empresa do Brasil, que oferece amplas oportunidades de crescimento profissional e pessoal em várias áreas. Certamente, esses elementos influem na condição de atratividade da empresa e, assim, no expressivo número de inscrições no processo seletivo da BR."

Os concurseiros serão testados pela Fundação Cesgranrio no próximo 8 de março. As provas objetivas serão compostas por 50 questões.

Os salários em disputa vão de R$ 3.095,97 a R$ 8.866,74. Os aprovados serão lotados em todo país. Quem tem nível médio de formação concorre aos cargos de técnico de administração e controle jr, técnico de manutenção jr (ênfase em elétrica e mecânica), técnico de operações jr e técnico de química jr.

Aos cargos de profissional júnior de nível superior participam graduados em administração, ciências contábeis, comunicação (relações públicas), direito, engenharia (meio ambiente, produção, segurança do trabalho, mecatrônica, controle e automação, elétrica e mecânica), psicologia, serviço social, economia, e marketing.

Candidatos ao cargo de técnico de operações jr ainda farão prova de capacidade física, composta por teste de barra fixa, flexão abdominal e corrida de 12 minutos.

Crise
Embora esta seja a segunda seleção pública que a Petrobras lançou neste ano, a estatal vive seu pior momento. Devido ao escândalo de corrupção, que está sob investigação pela Polícia Federal, o valor das ações da petroleira está caindo. No primeiro dia de gestão do novo presidente, Aldemir Bendine, que ocupa o posto deixado por Graça Foster, as ações da petroleira abriram em queda no pregão. Leia mais sobre o caso aqui.

PESQUISA DE CONCURSOS