Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Fique por dentro da suspensão de concursos em 2016 e saiba como driblar a crise

Apesar do susto, especialistas afirmam que a dedicação aos estudos neste momento fortalecerá o candidato para quando as seleções voltarem à tona

17/09/2015 09:42

Do CorreioWeb

Iano Andrade/CB/D.A Press
Durante o anúncio do pacote de medidas adicionais para enxugar o orçamento de 2016, o Governo Federal propôs a suspensão de concursos públicos para os Três Poderes. Dos R$ 26 bilhões que a equipe econômica pretende eliminar do orçamento, R$ 1,5 bilhão era destinado à criação de 25,6 mil vagas previstas no Projeto de Lei Orçamentária (Ploa) do ano que vem. Mas, apesar do susto, especialistas afirmam que os concurseiros podem se deparar com uma boa oportunidade à frente, se estiverem dispostos a mudar de estratégia.

Neste primeiro momento, é ideal que os concurseiros busquem formas positivas de encarar a notícia. Mesmo que sejam abertas poucas seleções, 2016 pode ser a oportunidade perfeita para fortalecer os estudos e aproveitar a oportunidade quando ela surgir. É comum que um concurseiro estude, em média, um ou dois anos antes de conquistar a sonhada aprovação. Então, aproveite o ano que vem para enriquecer os estudos. Os especialistas ouvidos pelo Correio alertam, inclusive, que, quando vieram à tona, os concursos terão alto nível de cobrança de conteúdos.

Segundo o professor de administração pública Renato Lacerda, processos seletivos serão lançados, apesar da suspensão temporária. “Haverá grandes chances para o Judiciário. Além disso, as progressões dos cargos acompanham a necessidade de novas contratações”, analisa. De acordo com Lacerda, mesmo com o corte orçamentário, a máquina pública continuará rodando. “Ainda que de forma precária”, avalia. O professor adianta que o poder Executivo sofrerá o maior impacto.

É preciso destacar, ainda, que outras medidas anunciadas – como o corte do abono permanência dos servidores – acarretarão, cedo ou tarde, em um alto deficit de profissionais. Quando o governo voltar a realizar as seleções, a demanda de vagas será significativa e a reposição do quadro de pessoal iminente. Ou seja, melhor estar em dia com os estudos. Assim como em 2011, em que também foi anunciada suspensão de concursos, 2016, mesmo em meio à crise, pode reservar alguns concursos inesperados e o candidato não gostará de ser pego de surpresa.

Para o especialista em concurso público Vincenzo Papariello, os cortes são importantes para quitar as dívidas do governo, porém, haverá queda na qualidade do serviço público prestado. “O governo terá necessidade de lançar projetos e prestar serviços, logo sentirá falta de funcionários. Uma hora ou outra os processos seletivos vão retornar”, diz. Lacerda pensa da mesma forma: “A demanda da sociedade está aumentando e estamos indo contra a maré, já que a mão de obra vai diminuir”.

Ainda é 2015
Aqueles que já estão se preparando para os processos seletivos com editais autorizados neste ano devem prosseguir nos estudos. O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) garantiu que eles serão mantidos. As nomeações relativas a estas seleções, mesmo que programadas para o ano que vem, também estão asseguradas dentro do prazo de validade de cada concurso e para candidatos aprovados dentro do número de vagas efetivas oferecidas. Vale ressaltar, também, que o esforço fiscal previsto não se aplica às empresas estatais.

Quanto a novos pedidos para abertura de processos seletivos em 2016, o Ministério do Planejamento informou que as solicitações serão analisadas, somente, no primeiro semestre do ano que vem para que possam valer apenas em 2017. Desta forma, ficarão suspensos os requerimentos enviados para a realização de concurso em exercício de 2016.

PESQUISA DE CONCURSOS