Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Câmara e Senado: deficit de servidores aumenta expectativa por novos concursos

Quando forem lançados, a demanda por profissionais será alta e a cobrança das provas rígida

25/09/2015 09:45 | Atualização: 25/09/2015 16:26

Do CorreioWeb

Marcelo Ferreira/CB/D.A Press
Para os concurseiros que sonham em ingressar na carreira legislativa nunca é hora de frear os estudos, com ou sem crise à vista. Com concurso autorizado no final de 2014, a Câmara dos Deputados deve abrir 225 vagas. Já o Senado, apesar de ainda não prever lançamento de concurso, contabiliza 1.688 cargos vagos, segundo o relatório de quadro de pessoal da casa, atualizado nesta semana. De acordo com especialista ouvido pelo Correio, os editais devem ser lançados somente em 2016. Mas, não se engane, os estudos devem continuar a todo vapor. Quando forem lançados, a demanda por profissionais será alta e a cobrança das provas rígida.

Para a Câmara, as oportunidades serão distribuídas nas carreiras de técnico (nível médio) – no posto de assistente administrativo - e analista (nível superior) – nos cargos de analista de informática, assistente social e técnico em material e patrimônio. A pasta informou, contudo, que o quantitativo de vagas ainda pode sofrer alterações. No momento, não há previsão para a divulgação do edital. As remunerações confirmadas são de R$ 13.578,58 e R$ 20.384,43, para níveis médio e superior, respectivamente.

Já o Senado, mesmo que apresente um número elevado de cargos a serem preenchidos, ainda não tem previsão para a realização de novos concursos. A última seleção foi realizada em 2012 e ofereceu 246 oportunidades de níveis médio e superior. A concorrência geral foi de 642 candidatos por vaga. O posto que registrou o maior número de cadastros foi o de analista legislativo, com mais de 63 mil concorrentes.

Estude, concurseiro, estude
Para a professora de direito constitucional e eleitoral Nelma Fontana, do IMP Concursos, devido o alto quantitativo de cargos vagos do Senado, a expectativa é que saia, pelo menos, dois editais no ano que vem. “A casa não vai segurar esse deficit por muito tempo, pois até os próprios parlamentares vêem a escassez de concursados”, analisa. A especialista ressalta a importância dos estudos intensos: “são concursos de alto nível e os candidatos precisam ser também. Quem quiser prestar o próximo certame já devia estar estudando e, se não estiver, deve começar imediatamente”, aconselha Fontana.

Uma das dicas para quem visa a aprovação nesses processos seletivos, é priorizar os estudos nas disciplinas básicas, como língua portuguesa, direito constitucional e administrativo. É aconselhável, ainda, que os candidatos não antecipem os conteúdos específicos, pois, segundo a professora, esses devem receber atenção apenas quando forem divulgados os editais e percebidas as particularidades de cada documento de abertura.

PESQUISA DE CONCURSOS