Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Seleções em andamento e as que foram autorizadas estão mantidas

O ministro interino do Planejamento, Dyogo Oliveira, reforçou que o governo federal não pretende realizar novos concursos neste ano e no próximo,

08/06/2016 07:48 | Atualização: 08/06/2016 09:37

Rosana Hessel

Jose Cruz/Agencia Brasil
O ministro interino do Planejamento, Dyogo Oliveira, reforçou que o governo federal não prevê novos concursos neste ano, muito menos em 2017. Segundo ele, apesar de o Congresso Nacional ter aprovado recentemente a nova meta fiscal, que permite um deficit primário de até R$ 170,5 bilhões nas contas conjuntas de Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central, o chamado governo central, o cronograma inicial de suspensão dos certames está mantido.

“A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2016 previu que não fossem dadas autorizações para novos concursos, e isso está sendo praticado e será praticado até o fim do ano. E a LDO de 2017 mantém essa regra”, afirmou Oliveira.

As despesas discricionárias (que podem ser contingenciadas) passaram de R$ 212,2 bilhões para R$ 250,6 bilhões, ou seja, cresceram R$ 38,4 bilhões. Oliveira destacou ainda que somente as seleções que estão em andamento e os que foram autorizadas em anos anteriores estão mantidas. “Não estamos prevendo novas contratações por concursos até 2017”, afirmou.

Ao ser questionado sobre uma possível retomada dos certames a partir 2018, o ministro interino desconversou e afirmou que o assunto será tratado “somente quando o governo enviar a LDO de 2018” ao Congresso Nacional, ou seja, somente no ano que vem.

PESQUISA DE CONCURSOS