Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Ministério Público Federal entra na Justiça pela anulação do concurso da Dataprev

Mais de 62 mil candidatos se inscreveram no certame

05/02/2015 16:02 | Atualização: 05/02/2015 17:24

Lorena Pacheco

Dataprev/Reprodução
A reaplicação das provas do concurso da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev), em Rondônia, fez com que o Ministério Público Federal entrasse com ação civil pública, na Justiça, pedindo a anulação das provas. Os exames que seriam realizados por todos os 62 mil inscritos no dia 14 de dezembro, tiveram que ser cancelados na cidade, devido a problemas no envio dos malotes com os cadernos de perguntas. Foi quando a banca organizadora da seleção resolveu reaplicar as provas apenas para os 609 candidatos prejudicados.

O MPF acredita, porém, que a reaplicação para uma parte dos candidatos fere a isonomia do concurso público, já que houve exames para o mesmo cargo em outras capitais. Assim, o órgão pediu à Justiça que o concurso seja suspenso – exceto, somente, para os candidatos que concorrem ao cargo de analista -, e que as provas sejam anuladas e reaplicadas a todos os concorrentes. Caso não cumpra com a decisão, a Dataprev e o Instituto Quadrix, a banca organizadora, podem pagar multa diária de R$ 5 mil e multa de R$ 100 mil para cada ato ou edital que desobedeça a ação.

A Dataprev já se pronunciou em juízo, encaminhando seus esclarecimentos, de acordo com notificação referente à ação civil ajuizada pelo Ministério Público Federal, e aguarda a decisão da Justiça Federal, que analisa o processo.

PESQUISA DE CONCURSOS