Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Concurso para papiloscopista da Polícia Civil do DF pode ser suspenso

Oito candidatos ao cargo entraram na Justiça para suspender a seleção por conta de possíveis irregularidades nas provas discursivas

29/09/2015 12:26

Sílvia Mendonça

José Varella/CB/D.A Press
A continuidade do concurso para papiloscopista da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) está ameaçada. Oito candidatos ao cargo entraram na Justiça para suspender a seleção por conta de possíveis irregularidades nas provas discursivas. O Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT) analisa o caso e concedeu prazo de 48h para que a banca examinadora, Fundação Universa, esclareça os métodos utilizados para a correção dos exames.

Inicialmente, o edital previa que a prova discursiva, de caráter eliminatório e classificatório, consistia na elaboração de um texto dissertativo valendo 10 pontos. Além disso, explicava que seria eliminado do concurso o candidato que não alcançasse a pontuação 6,00 e que a avaliação possuía peso 1. De acordo com Max Kolbe, um dos advogados responsáveis pela ação, no dia 16 de março, ou seja, após a realização das inscrições, a banca organizadora alterou o edital aumentando o peso da prova discursiva de 1 para 8. “É completamente ilegal. Tenho um cliente que ficou em 10º lugar na prova objetiva, mas por conta dessa alteração teve a nota comprometida e ficou de fora”, defende.

Além disso, a acusação alega que ao analisar o espelho de correção da prova, disponibilizado pela banca organizadora, é possível concluir que ela foi corrigida por apenas um examinador. De acordo com o art. 37 da Lei Distrital 4.949/2012, a correção de prova discursiva em concursos públicos deve ser feita por dois examinadores, sendo a nota final a média dos resultados. Desta forma, os candidatos pedem a suspensão do concurso, com a reanálise da etapa citada, com base nas regras previstas inicialmente, e com a anulação da prova pela falha na correção.

O que diz o edital
O concurso oferece, ao todo, 417 vagas. Dessas, 157 são para papiloscopista (50 imediatas e 107 para cadastro), 200 são para delegado (100 chances imediatas e 100 para cadastro reserva), e 60 para perito médico-legista (20 vagas imediatas e 40 para cadastro). Mais de 8.300 pessoas se inscreveram para o posto de papiloscopista – cerca de 53 por chance. Concorrem candidatos com qualquer curso de nível superior. A remuneração é de R$ 8.284,55.

A seleção será composta ainda por exames biométricos e avaliação médica, sindicância de vida pregressa e investigação social, e curso de formação profissional (composto por mais de 400 horas/aulas). O perito papiloscopista é o profissional responsável pela coleta, armazenamento e identificação de impressões digitais.

PESQUISA DE CONCURSOS