Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Candidatos intensificam preparação para as provas do TJDFT; confira dicas

Os exames serão aplicados em 20 de dezembro. Aulão solidário promete esclarecer dúvidas de última hora

11/12/2015 09:00 | Atualização: 05/01/2016 12:05

Do CorreioWeb

Minervino Junior/CB/D.A Press
Candidatos durante aulas do cursinho preparatório para o concurso público do TJDFT
O dia de aplicação das provas de um dos concursos mais aguardados do ano está chegando. Em apenas nove dias, em 20 de dezembro, os candidatos inscritos na seleção aberta pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) vão disputar sonhadas 80 vagas e salários de até R$ 8,8 mil. Mas calma, essa não é a melhor hora para entrar em desespero. Segundo especialistas ouvidos pelo Correio, o mais importante agora é que todos os participantes aproveitem ao máximo os últimos dias para finalizar a preparação.

Rayane Neves, 28 anos, se prepara para a seleção desde maio. Filha de servidor aposentado do próprio TJDFT e advogada há cinco anos, a concurseira aconselha que os candidatos devem dar mais atenção ao conteúdo de português. “É a matéria que as pessoas têm mais dificuldade e que mais afeta os candidatos, já que muitos não compreendem a visão de interpretação da banca”, ressalta a candidata, que também considera importante rever o regime interno, provimento e direitos administrativo e constitucional. Na hora da prova, ela considera importante manter a calma e não se deixar abalar pela concorrência. “Ao mesmo tempo em que o concurso tem uma grande concorrência, se vê também muita pessoas sem preparação e é isso que me mantém tranquila”.

A concurseira e também estagiária do TJDFT Suzana Marina, 23 anos, dedica-se ao concurso desde o início deste ano. Nesta reta final, está fazendo exercícios de apostilas, indo a aulões e revisando todos os materiais disponíveis. “Estou com atenção nos conteúdos de informática e português, pois são disciplinas mais fáceis de esquecer”, diz. Ela também detalha a sua estratégia de estudo para uma boa preparação. “Visando todas as provas anteriores, acredito que a avaliação será decidida pelo processo civil, já que também é muito utilizado por quem for assumir o posto. Vejo muito isso lá dentro”.

Aline Mendonça, 32 anos, também é uma das candidatas da seleção e conta que se dedica sete horas por dia aos estudos. “Pra mim, esse é o tempo ideal para dedicação na reta final. Mais que isso eu fico cansada, com a mente esgotada e não consigo manter a calma para a prova”.

Dicas
A essa altura do campeonato, os concurseiros já devem ter certo nível de intimidade com o perfil da banca examinadora, o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e Promoção de Eventos (Cebraspe). De acordo com o professor de direito constitucional Orlando Júnior, “a organizadora é muito astuta e suas questões costumam abordar bem todos os tópicos do edital. Sendo assim, aconselho os alunos a estarem preparados para tudo, praticando os conhecimentos nas questões para se acomodar a forma como o examinador explora os assuntos”.

Uma postura prática e mais estratégica também é recomendada pelo professor de direito administrativo Gustavo Amaral, para aqueles estudantes que ainda não conseguiram finalizar todo o conteúdo programático do concurso. “Nessa última semana, os concurseiros deverão focar os exercícios da banca, uma vez que tem muita gente que não conseguiu vencer o edital. Também é essencial realizar redações com temas diversos da área de conhecimento exigida e fazer uma revisão geral dos pontos importantes”.

Apesar de o Cebraspe ainda não ter divulgado o número de concurseiros inscritos no processo seletivo, o especialista concorda que a disputa do concurso será acirrada e aposta em uma concorrência média de 500 pessoas por vaga. Amaral indica ainda que no direto administrativo, o concurseiro deve ficar atento aos julgamentos recentes do Supremo Tribunal Federal (STF) e à conjuntura política atual. Deve dominar também a responsabilidade civil do Estado em virtude aos acontecimentos no país. “Vale destacar a diferença do risco administrativo para o risco integral”, acrescenta.

O professor de direito penal Carlos Alfama ressalta a importância da revisão de respectivos itens em sua matéria. “Em especial no direito penal, os candidatos devem se atentar a aplicação da lei penal em geral e a teoria do crime”, aconselha. Outras áreas de conhecimento dentro do direito também são tópicos a serem destacados, como o “direito processual, processo penal e processo civil por ser um objeto de trabalho do funcionário”.

Aulão solidário

Os especialistas vão ministrar aula gratuita para preparação do TJDFT no próximo dia 12 de dezembro. Em clima de Natal, o aulão solidário será realizado na Igreja Núcleo da Fé (SIBS, quadra 2, Área Especial, Núcleo Bandeirante), a partir das 8h. Além de direito administrativo e constitucional, haverá aula sobre direito penal e processo penal, direito civil, português e informática. Para participar é necessária a doação de um brinquedo novo, que será levado a crianças carentes. Mais informações pelo telefone 3386-2122.

O concurso
Além das 80 oportunidades de provimento imediato, o concurso ainda oferece cadastro reserva. A banca deve divulgar os locais de aplicação dos exames nesta quinta-feira (10/12).

O cargo de nível superior, com salário de R$ 8.863,84, é o de analista judiciário, nas especialidades judiciária (para formados em direito), de análise de sistemas, biblioteconomia, psicologia, tecnologia da informação, odontologia e medicina (clínica médica, ginecologia-obstetrícia, neurologia, pediatria e psiquiatria). Para nível médio o cargo é o de técnico judiciário, dividido entre as áreas administrativas (para candidatos com apenas nível médio), enfermagem e programação de sistemas. Nestes casos, a remuneração é de R$ 5.425,79.

PESQUISA DE CONCURSOS