Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Quer passar em um concurso público? Saiba por onde começar

Além do óbvio, que é estudar, especialistas dão dicas para otimizar a rotina de preparação e montar um cronograma eficiente

08/03/2016 17:46 | Atualização: 08/03/2016 17:55

Do CorreioWeb

Quando se fala em como conquistar uma vaga no serviço público, especialistas frequentemente mencionam que estudar é a única garantia de sucesso. Mas é preciso estar atento a outros detalhes, tão importantes quanto, para uma boa preparação. Saber como fazer é tão importante quanto saber o que fazer. Com esse intuito, o coach Alessando Marques, da Coach Concursos, elaborou uma lista de dicas para potencializar a preparação. “Não existe preparação fácil, existe preparação correta”. Confira as orientações:

Giphy.com


Foco:
primeiramente é preciso que o candidato defina a carreira que quer seguir, seja ela jurídica, militar, educacional, etc. É importante ter isso bem definido desde o começo dos estudos, não é interessante que o candidato mude de foco se quer intensificar a preparação e ser aprovado. A partir daí, ele terá um leque de opções de concursos de órgãos diversos, mas que cobram as mesmas disciplinas para treinar.

Planejamento: delimitar a quantidade de horas de estudo, para que a preparação se molde à rotina do candidato. É importante fazer um plano de horas e indispensável que haja uma continuidade do estudo. As matérias não devem ser completadas, mas revistas. A revisão deve ser feita para manter o conhecimento na memória. Quanto menor o nível de conhecimento, menos matérias devem ser estudadas por dia - quem é iniciante deve despender um tempo maior para concretizar a compreensão em conteúdos que não domina. O ideal é que quem começou a estudar priorize duas matérias por dia. O estudante mais avançado já pode se aventurar em três ou quatro matérias.

Ação: cumprir a meta de horas de estudo definida para a semana e fazer uma planilha de controle para avaliar o desempenho, anotando os resultados da prática de exercícios e se atentando à frequência e ao motivo dos erros.

Materiais: o ideal é que o candidato selecione previamente um material para cada matéria e siga ele até que seja esgotado. Podem ser videoaulas, livros, fóruns, materiais em PDF, ou outro material indicado por professor. Para quem trabalha o dia inteiro, o curso preparatório presencial não é tão adequado, pois não haverá tempo para fazer o estudo individual. Estudar por videoaulas ou curso online é o ideal para quem tem o horário restrito. O curso presencial é adequado para quem ainda precisa desenvolver uma base de conhecimento. Quem tem um conhecimento maior em concursos pode recorrer a materiais escritos, mais densos.

Giphy.com


Emocional:
o controle emocional corresponde a 90% da preparação. É preciso ser consciente em relação ao tempo de estudo, determinar as horas de acordo com a disponibilidade e não estabelecer um horário que não se pode cumprir, pois, certamente, virá a sensação de fracasso. Deve-se pensar em qualidade de horas. É preciso também saber lidar com a solidão, pois o estudo é uma atividade solitária, mas é o estudo individual que faz passar. Com a explicação de um professor, pode-se entender a matéria, mas para aprender é preciso estudar sozinho. Assim, as provas devem ser usadas como análise do conhecimento, um feedback, e não como auto-julgamento.

Já o professor de direito administrativo do IMP Concursos Aragonê Fernandes acredita que o melhor método de estudos é fazer leituras rápidas e abrir mão de resumos. Ele também orienta fazer leitura de leis e doutrinas atuais. Para tanto, indica um site que busca traduzir o vocabulário juridiquês: www.dizerodireito.com.br. Para elaborar um plano de estudos, Fernandes aconselha que o candidato alterne entre quatro matérias que não tenham relação entre si, dedicando-se uma hora em média para cada uma por dia.

Segundo o professor, um bom cronograma inicial para matérias básicas, que caem em quase toda seleção, seria começar numa segunda-feira com português, direito constitucional, atualidades e gestão de pessoas. Na terça-feira, as matérias seriam direito administrativo, raciocínio lógico, administração financeira e orçamentária e informática. E nos outros dias da semana, esse conteúdo deve ser intercalado. Dessa forma, o candidato vai sempre retornar às matérias e relembrar o conteúdo. Para a matéria de atualidades, ele indica que o candidato acompanhe rádios e jornais, priorizando conteúdos referentes a mundo, política e economia.

Fernandes aponta que os horários de pico de desempenho em geral são das 11h às 12h. Já os de baixo aproveitamento dos estudos é de 14 às 15 horas.

Para exercícios, a orientação é de que o candidato faça uma prova da banca por semana. Para matérias teóricas, a proporção é de três dias de teoria para um dia de exercício. Já para matemática e português, a freqüência pode ser de um dia de teoria para outro de exercício. “Não se pode esquecer do descanso, que pode ser de um dia na semana, preferencialmente no domingo”.

PESQUISA DE CONCURSOS