Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Bombeiros do DF prorrogam prazo de inscrições para 779 vagas

Demais datas do cronograma do concurso estão inalteradas

18/08/2016 14:47 | Atualização: 18/08/2016 15:29

Carlos Moura/CB/D.A Press
Quem estava esperando que o prazo de inscrições do concurso do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal tivesse fim nesta quinta-feira (18/8) errou. A corporação decidiu prorrogar o período de participação até 1º de setembro. As taxas de participação, que variam de R$ 90 a R$ 140, poderão ser pagas até 2 de setembro. Garanta sua inscrição no site do Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistência Nacional (Idecan).

São ao todo seis editais com 779 vagas. Os cargos para ingresso nos cursos de formação de praças bombeiros militares são para soldados geral operacional (448 vagas), soldado condutor e operador de viaturas (112), soldado de manutenção de veículos (55) e soldado de manutenção de aeronaves (5). No caso dos cursos de formação de oficiais bombeiros militares, as vagas são para combatente (115 vagas) e complementar (20).

Todos os postos serão preenchidos por candidatos com curso superior. No caso do curso de habilitação de oficiais bombeiros militares, exige-se diploma específico, e as oportunidades são para saúde, com 20 vagas para médicos e quatro para cirurgiões-dentistas; e complementar (20), nas seguintes habilitações: arquivologia, biblioteconomia, museologia, psicologia, serviço social, fisioterapia, nutrição, farmácia — bioquímica, enfermagem, e engenharias civil, mecânica e elétrica. Para se candidatar, é preciso ter entre 18 e 28 anos até o fim das inscrições.

A altura mínima dos candidatos deve ser de 1,55m, no caso de mulheres; e de 1,60m, para homens. Durante o curso, os aprovados receberão R$ 5.108,08, exceto no caso de oficiais, que ganharão R$ 9.945,64; valor que passará para R$ 11.654,95 depois do treinamento. Após a graduação, os salários dos demais cargos também aumentam para R$ 6.338,87 — no caso de oficiais combatentes, esse é o valor para o segundo ano; depois de promovidos a aspirantes a oficiais, o valor sobe para R$ 9.945,64 e, por fim, quando chegaram à posição de 2º tenente, recebem R$ 11.654,95.

Leia também: Bombeiros publicam suspensão de papanicolau e prova de virgindade no Diário Oficial

A seleção será composta por prova objetiva, exame de aptidão física, inspeção de saúde, avaliação psicológica e investigação social, funcional e da vida pregressa. Os exames objetivos serão compostos por 80 questões. Em conhecimentos básicos, as disciplinas são língua portuguesa, matemática, química, física, noções de informática e noções e agenda ambiental — para praças da função geral operacional haverá ainda questões de biologia. Quem concorrer ao cargo de oficial vai responder a questões de línguas portuguesa e inglesa, noções de informática e de agenda ambiental. Os conteúdos específicos variam para cada cargo; com exceção da matéria sobre legislação pertinente ao CBMDF (peso 1).

Esperança
Graduado em odontologia, Saulo Henrique Salviano, 34 anos, prestará o concurso. Ele trabalha como dentista na Força Aérea e sente que se adapta bem à carreira militar. A preparação para o concurso está sendo realizada por meio de estudo nos intervalos e cursinho presencial. “Meu perfil produz mais em sala de aula. Ir ao curso dá uma motivação maior”, conta.

Eduardo Luiz, professor de atendimento pré-hospitalar e legislação do Corpo de Bombeiros no IMP Concursos, afirma que é preciso focar nas matérias específicas. “A pessoa não pode fazer o concurso sem dominar conteúdos de primeiros socorros, lesões de caráter circulatório, parada cardíaca, estados de choque, hemorragias e anatomia de sistema circulatório”, alerta. Quanto à parte de legislação, ele aconselha focar no Estatuto do CBM-DF e na Lei nº 12.086/2009. “São poucos itens para muitas disciplinas, então é preciso tomar cuidado para não zerar. A parte de exatas também está muito puxada.”

Dicas valiosas
Professor de química e servidor da Polícia Federal, Leandro Machado observa que os conhecimentos cobrados na matéria serão muito similares tanto para oficiais quanto para praças. “É preciso prestar atenção a temas relacionados a fenômenos radioativos, estudo dos gases, especificamente relacionados a explosões. Também são importantes os conhecimentos na parte de termoquímica, energia e calor, espontaneidade de processos químicos e de combustão de substâncias.” Não deve ser ignorada a eletroquímica. Leandro afirma que “o edital é pouco específico em um dos tópicos mais importantes aos cargos oferecidos: a parte de tecnologia associada à química orgânica, o que exigirá do candidato amplo conhecimento.”

Saiba também: Eles conseguiram! Bombeiros do DF contam suas estratégias de estudo para aprovação

Hérico Avohai, professor de física do Ifar Concursos, explica que a matéria está separada em três grandes ramos para os candidatos a praça: mecânica, termodinâmica e eletromagnetismo. “Chamo a atenção para a parte de mecânica, pois envolve todos os tipos de movimento, equilíbrio e hidrostática”, diz. “É importante lembrar que, para oficial, serão cobrados ainda conteúdos de história da física, ondulatória, ótica geométrica, física moderna, hidráulica geral, mecânica dos fluidos e dos sólidos, sendo que o examinador poderá cobrá-los utilizando conceitos de nível superior”, aponta. Hérico sugere que os candidatos estudem por meio de provas anteriores e pelos livros Fundamentos da física 1, 2 e 3 (Editora Moderna; preço: R$ 175 cada).

Prova física
O teste é composto por três modalidades. A primeira é a barra, na qual homens devem conseguir fazer certo número de repetições, e mulheres precisam se sustentar na posição de cotovelos flexionados e queixo acima da barra por uma quantidade de segundos que varia a cada cargo. A segunda é de corrida em 12 minutos, em que homens e mulheres devem percorrer número de metros diferente a cada edital. A etapa de natação estipula nadar 50 metros ou 100 metros rasos, em determinado prazo.

Há apenas uma situação em que o teste físico pode ser adiado: em caso de gravidez, em que a mulher poderá realizar a prova quatro meses após o parto. Lesões e atestados médicos, bem como episódios de cólica e menstruação, não serão considerados. A ginecologista Silvia Kenj explica que a dor abdominal, assim como um fluxo intenso, podem prejudicar o desempenho, mas não impedem a realização. “A contraindicação é apenas em caso de hemorragia”, explica.

Passe bem/Legislação pertinente ao CBMDF

Julgue os itens abaixo, relativos ao Estatuto dos Bombeiros Militares.
1) Havendo justificação da autoridade militar superior, a pena disciplinar de prisão poderá ultrapassar 30 dias.
2) Ao comandante geral do CBMDF cabe, em última instância, julgar os recursos que forem interpostos nos processos oriundos de Conselho de Disciplina.

Comentário
1) A pena máxima disciplinar é de 30 dias.
2) Ao governador do DF cabe, em última instância, julgar os recursos que forem interpostos nos processos oriundos de Conselho de Disciplina.

Questão retirada de prova aplicada em concurso do Corpo de Bombeiros, realizada pelo Cespe, comentada pelo professor Eduardo Luiz


Gabarito: E, E

PESQUISA DE CONCURSOS