Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Como estudar português para concursos;confira dicas com especialista

Há questões que podem confundir os candidatos. Professor especialista em Língua Portuguesa dá dicas

21/02/2017 09:30 | Atualização: 20/02/2017 13:56

Beatriz Fidelis - Especial para o Correio

Hiram Vargas/Esp. CB/D.A Press
Português é uma língua complexa. Cheia de meandros e detalhes, quem faz concurso público sabe a infinidade de questões que podem surgir em itens de Língua Portuguesa. Será que você está preparado? Professor de Língua Portuguesa Diogo Arrais dá dicas de questões que podem aparecer e pegar o concurseiro desatento. Confira. 

Leia Também

 

Atenção

Quando se trata da cobrança da Gramática Normativa, em Concursos Públicos, é sempre bom ter atenção a algumas questões, como:
O pronome relativo ONDE só pode fazer referência a lugar;
Verbo defectivo, como PRECAVER, não possui conjugação completa. É muito comum o candidato achar que existe "precavenho" ou "precavejo", para a primeira pessoa do singular, no presente do indicativo. No entanto, é preciso utilizar um outro verbo, de significação semelhante, como "acautelo-me" ou "previno-me";
O verbo haver, no sentido de existir, jamais deve ir para o plural;
Não se concebe que "posto que" seja utilizado na ideia de causa, é uma expressão de oposição ideológica.

Alie os estudos

É possível aliar sim os estudos de Português com o de outras matérias, principalmente a parte de Produção Textual. Estudando frentes do Direito, a escrita do candidato terá um salto considerável. Além disso, vocabulário e sintaxe (organização do pensamento)  evoluirão muito. Todo candidato deve ler e escrever diariamente, com o apoio de obras jurídicas de qualidade.

Leitura rápida e de qualidade

A leitura só melhorará com o hábito. A questão não é ler com velocidade meramente, mas o foco tem de ser a compreensão do texto, da mensagem. Quanto mais se lê, mais se escreve, mais se vê o resultado na vida profissional. Tenha a leitura da palavra escrita como a escovação dentária:  dia a dia.

Hábito é fundamental

Estudar a Língua é como estudar um instrumento musical. Mais uma vez, comento sobre o hábito, sobre a questão de ser curioso, no dia a dia, sobre a Gramática.
Um bom pianista toca diariamente, participa de aulas, troca conhecimento, tem livros, debate em encontros com outras pessoas. Um bom estudante estuda diariamente, participa de aulas e divide o conhecimento sempre. Não se pode pensar em parar.

Leia Também

Dicas úteis

  • Não se esqueça de circular as palavras que mais se repetem no texto, identificando, assim, o campo semântico (da significação). Caso haja fonte, observe-a atentamente.
  • Na parte morfológica, tenha atenção a pronomes, verbo, advérbio e conjunção.
  • Ademais, tenha em casa uma tabela com os principais conectivos cobrados:  “conquanto”, “a despeito de que”, “entretanto”, “porquanto”.
  • No estudo sintático, valorize os princípios sobre pontuação.
  • Sobre o estudo de concordância, procure rever a regra sobre os verbos “ser”, “haver”, “existir”; a regra sobre “números”, “percentagens”; a regra do “sujeito partitivo”.
  • Por fim, o examinador elabora sempre questões com a ligação entre Regência e o uso do Acento Grave.

Teste seu português para concurso

1. Assinale a alternativa que indica corretamente o uso de acento grave na placa desse restaurante.
a)  Atendemos de 2ª à 6ª, das 11h00 as 14h00. À noite servimos pizza.
b)  Atendemos de 2ª a 6ª, das 11h00 às 14h00. À noite servimos pizza.
c)  Atendemos de 2ª a 6ª, das 11h00 as 14h00. A noite servimos pizza.
d)  Atendemos de 2ª à 6ª, das 11h00 às 14h00. À noite servimos pizza.
e)  Atendemos de 2ª a 6ª, das 11h00 às 14h00. A noite servimos pizza.
 
Resposta: “b”. A expressão “das 11h00 às 14h00, por demarcar especificamente a hora, exige a presença do acento grave. Da mesma forma, a locução adverbial feminina À NOITE exige a presença do  citado acento gráfico.
 
2. Considere o trecho a seguir:
Um julgamento como o da Lei da Ficha Limpa é uma ocasião _______ se testam os limites da justiça brasileira.
Assinale a alternativa que preenche corretamente a lacuna acima.
a)  cuja a qual.
b)  onde.
c)  aonde.
d)  em que.
e)  que.
 
Resposta: “d”. A expressão “uma ocasião”, com a devida ideia de inserção, exige a preposição “em” e o pronome relativo “que”. Não há a ideia de localidade nem de posse – impossibilitando os relativos “onde” e “cujo”.

3. Considere o trecho a seguir:
O Presidente da Câmara iniciou seu pronunciamento dizendo que já são conhecidas as razões pelas quais não se conseguia encaminhar mais rapidamente aquele processo.
A expressão sublinhada pode ser substituída corretamente por:
a)  nas quais.
b)  porque.
c)  onde.
d)  com que.
e)  por que.
 
Resposta: “e”. Ocupam a mesma relação semântica: “por que” e “pelas quais” (preposição e pronome relativo).

4. Em relação à CONCORDÂNCIA NOMINAL, analise os itens abaixo:
I.  “O que não quer dizer que estejamos alheios a uma divulgação, distribuição...”
II.  “ ... a uma divulgação, distribuição e comercialização profissionais destes livros...”
III.  “...é necessária a realimentação dos investimentos através da venda de seus produtos.”
IV.  “...nossas publicações são concebidas dentro de um planejamento gráfico atraente e funcional ...”
V.  “...com impressão de alta qualidade e acabamento o mais próximo possível da excelência.”
Assinale a alternativa que contém uma declaração CORRETA.
A)  No item I, o termo alheios indica que o sujeito é representado por mais de uma pessoa do sexo feminino.
B)  No item II, o termo profissionais poderia ser substituído, sem infringir as normas gramaticais, por profissional.
C)  No item III, estaria correta também a seguinte construção :é necessária realimentação dos investimentos através da venda de seus produtos.
D) No item IV, se acrescentássemos o termo produtos ao sujeito, estaria correta a construção :nossos produtos e publicações são concebidas dentro de um planejamento gráfico atraente e funcional.
E)  No item V, estaria correto também o trecho: com impressão de alta qualidade e acabamento os mais próximos possível da excelência.
 
Resposta: “b”. Por questão normativa, em expressões compostas, o adjetivo pode concordar com a palavra mais próxima (última grafada) – “comercialização profissional”.
Vamos aos desvios gramaticais das outras questões? Na letra A, o termo “alheios” só pode ficar no plural; na letra C, para a concordância com “realimentação”, termo destituído de determinante, a expressão seria “é necessário”; na letra D, a concordância exige palavra, no masculino e plural: “concebidos”; na letra E, a expressão “os mais” exige o plural “possíveis”.
Analise os termos sublinhados dos fragmentos abaixo:

5.  Analise os termos sublinhados dos fragmentos abaixo:
I  “...ou não que tenham relevância para a cultura pernambucana...”
II.  “ ...nossas publicações são concebidas dentro de um planejamento...”
III.  “...de modo a proporcionar uma leitura tão agradável quanto proveitosa.”
Estes podem ser substituídos, sem causar qualquer prejuízo de sentido, respectivamente, por:
A) importância, elaboradas, delegar.
B)  prestígio, organizadas, expressar.
C)  essência, exportadas, propor.
D) importância, geradas, ofertar.
E)  essencialidade, importadas, oferecer.
 
Resposta: “d”. Os termos “relevância”, “concebidas”, “proporcionar” são corretamente substituídos, respectivamente, por “importância”, “geradas”, “ofertar”.
 
*Diogo Arrais é professor de Língua Portuguesa do Curso Preparatório Jurídico (CPJUR) e autor gramatical pela Editora Saraiva.

PESQUISA DE CONCURSOS