Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

CRBM-3: Especialistas em três disciplinas dão dicas para prova

Há vagas para o Distrito Federal e mais quatro estados

03/07/2017 09:24

Naum Giló*

Arquivo Pessoal
Estudante de biomedicina, Daniele espera se tornar fiscal biomédica
O Conselho Regional de Biomedicina da 3ª região (CRBM3) oferece 12 vagas efetivas e 378 de cadastro de reserva em novo concurso. A boa notícia é que ainda há tempo de se preparar: faltam quase três meses para as provas. Entre as oportunidades imediatas, o certame visa preencher uma vaga em Brasília, duas em Belo Horizonte, duas em Cuiabá, uma em Divinópolis (MG), cinco em Goiânia e uma em Uberaba (MG). As oportunidades de cadastro de reserva são para Palmas, Montes Claros (MG) e as cidades citadas anteriormente. Candidatos de nível médio podem concorrer ao cargo de auxiliar administrativo, com remuneração inicial de R$ 1.566,67. Já em nível superior, há chances para fiscal biomédico (com vencimento de R$ 3.256,87) e jornalista (com lotação em Goiânia e rendimentos de R$ 2.167,05). Na capital federal, são ofertados os dois primeiros postos: são 30 vagas para fiscal administrativo, uma efetiva e 29 de reserva; além de 30 vagas de reserva para fiscal biomédico.


Os candidatos devem passar por prova objetiva contendo 50 questões de múltipla escolha com cinco itens cada. Os conhecimentos básicos envolvem língua portuguesa, raciocínio lógico e matemático, noções de informática, ética no serviço público e atualidades (somente para a vaga de jornalista). Entre os conhecimentos específicos, a única disciplina comum a todos os cargos é legislação aplicada ao sistema dos conselhos regionais e federal de biomedicina (CRBM/CFBM).

Prestes a concluir a graduação em biomedicina no Centro Universitário de Brasília (UniCeub), Daniele Gomes dos Santos, 22 anos, vai concorrer a uma vaga de fiscal biomédico. A rotina da jovem é atribulada, pois concilia as obrigações acadêmicas com a preparação para o certame. “À tarde, estudo durante quatro horas, intercalando duas matérias da prova e, à noite, vou para a faculdade”, conta Daniele, que ainda arranja tempo para academia e natação. Ela avalia que os exercícios físicos a ajudam a relaxar e a conseguir manter a rotina. Daniele tem, na bagagem curricular, dois anos de estágio no Laboratório Sabin e, para reforçar os conhecimentos, consulta resumos, videoaulas, slides, anotações e monitoria de desempenho num cursinho on-line. A matéria em que tem mais dificuldade e também a que mais se dedica é raciocínio lógico e matemático. “Tenho expectativas de passar no concurso e trabalhar na área de que gosto”, afirma.

Dicas para passar

O professor de português Vitor Barbosa, do Ifar Cursos, alerta que o nível de dificuldade das questões do Instituto Quadrix, banca organizadora do certame, é alto. Entre os itens do edital que merecem mais atenção, ele elenca redação de documentos oficiais.  A morfossintaxe também é destaque no edital. Segundo o professor, a banca sofria críticas por cobrar muitas exceções nas provas de língua portuguesa e que, agora, usa regras mais gerais. Na interpretação de texto, ele alerta que, das cinco alternativas, três poderão ser descartadas imediatamente. “Escolha sempre a opção que trate de forma literal ou equivalente o que foi pedido”, completa. Para finalizar, ele destaca a importância de estudar a reforma ortográfica e aconselha a consulta de quadros-resumos e revisão das acentuações gráficas.

Josimar Padilha, professor de raciocínio lógico e matemático do Gran Cursos On-line, recomenda que o candidato treine com questões de outros concursos. “É comum o Quadrix cobrar itens que envolvem lógica de argumentação, sendo necessário que o candidato saiba aplicar as tabelas-verdade (usadas para determinar se uma fórmula é válida ou se um sequente é correto) e conheça os diagramas lógicos e as respectivas representações geométricas”, afirma. Com relação a estruturas lógicas, ele aconselha estudar as equivalências e as negações de proposições compostas. Padilha ainda observa que operações em conjunto costumam ser bastante cobradas — às vezes, contextualizadas em outras disciplinas do edital. Ele também avisa que os cálculos exigidos podem ser muito trabalhosos. “Logo, é preciso treinar as operações fundamentais, bem como as propriedades para ser rápido nos cálculos”, pontua.

A legislação específica do sistema dos CRBMs e do CFBM pode ser um desafio para quem não é familiarizado com a área. “O último edital do conselho foi publicado em 2010 e não dá para saber o que exatamente será cobrado, mas aconselho os alunos a se atentarem às legislações mais recentes, ao código de ética da profissão e ao regimento interno da categoria”, observa  Mauro Rodrigues Chaves, professor da disciplina no Ifar Cursos. Democracia (exercício da cidadania), função pública e o Decreto nº 1.171/1994 (que estabelece o Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder Executivo Federal) são conteúdos importantes. Na legislação aplicada ao Conselho Regional de Biomedicina, ele chama atenção para as competências do profissional biomédico e dos presidentes dos conselhos federais e regionais, além das sanções éticas e disciplinares. Mauro também destaca algumas leis, entre elas a que desmembra os conselhos regionais e federais de biologia dos de biomedicina (Lei nº 7.017/1982) e a que dispõe sobre a regulamentação da profissão de biomédico (Lei nº 6.684/1979).

O que diz o edital


Concurso público para o Conselho Regional de Biomedicina da 3º Região (CRBM3)

  • Cargo: auxiliar administrativo, fiscal biomédico e jornalista
  • Inscrições: até 12 de julho pelo site www.quadrix.org.br
  • Taxas: R$ 49 (nível médio) e R$ 59 (nível superior)
  • Vagas: 12 imediatas e 378 de cadastro de reserva
  • Salários: R$ 1.566,67 (auxiliar administrativo), R$ 3.256,87 (fiscal biomédico) e R$ 2.167,05 (jornalista)
  • Provas: previstas para 6 de agosto
  • Locais: cidades a que se destinam as vagas efetivas e de cadastro de reserva

 

Passe bem / Língua portuguesa

Assinale a alternativa que contenha palavras do texto acentuadas, corretamente, pelo mesmo motivo.

a) “histórias” e “prêmio”.
b) “pública” e “experiência”.
c) “já” e “visível”.
d) “invisíveis” e “Belém”.
e) “situação” e “educação”.

Comentário:
A banca Quadrix adora o assunto acentuação gráfica. Primeiramente, cabe lembrar que esse tema contempla apenas o emprego dos acentos agudo e circunflexo (o que nos permite eliminar a letra E). “Histórias” e “prêmio” são acentuadas por serem paroxítonas terminadas em ditongo. “Pública” é proparoxítona. “Experiência” é paroxítona terminada em ditongo. “Já” é monossílabo tônico terminado em A. “Visível” é paroxítona terminada em L. “Invisíveis” é paroxítona terminada em ditongo. “Belém” é oxítona terminada em EM.

Questão retirada do concurso do Conselho Regional de Biblioteconomia da 6ª Região (CRB 6ª) para auxiliar administrativo, organizado pelo Instituto Quadrix, comentada pelo professor Elias Santana

 

 

Gabarito: letra a

* Estagiário sob supervisão de Ana Paula Lisboa


PESQUISA DE CONCURSOS