Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Mais de 15 mil vagas estão abertas em seleções pelo Brasil

03/11/2015 09:28 | Atualização: 03/11/2015 12:34

Rodolfo Costa

CB/D.A Press
"Mais do que a estabilidade e o salário, quero seguir carreira em algum tribunal para, no futuro, ser professora ou até conseguir algum cargo de magistratura" Isabella Santiago, advogada
A deterioração do mercado de trabalho continua levando mais pessoas a apostar as fichas no serviço público. No Distrito Federal, nem mesmo os fins de semana e feriados esvaziam os cursos preparatórios.

Em algumas escolas, os “aulões” de revisão intensiva de conteúdos têm adesão de mais de 75% de estudantes. Não é para menos. Em todo o país, há, pelo menos, 15.452 vagas distribuídas entre 185 concursos para todos os níveis de escolaridade.

O sonho de obter a estabilidade no serviço público motivou Cristiane Rocha, 30 anos, a abandonar o emprego como administradora, há quase um ano, para se dedicar aos estudos. “Eu observava as empresas demitindo, mas não imaginava que a situação do país fosse chegar ao cenário em que está. Isso me motiva a estudar ainda mais”, afirmou.

Ela espera substituir o antigo salário, de R$ 2 mil, pela remuneração de R$ 5.425 paga aos técnicos do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), cujo concurso está marcado para 20 de dezembro. Ela se dedica em período integral para o certame. E, para garantir o futuro, não vai descansar nem mesmo após as provas.

Nas manhãs e noites, Cristiane estuda em um curso preparatório, dedicando as tardes para a revisão. “Fico desesperada para passar logo e tirar esse peso das minhas costas”, disse ela, que deixou de visitar a família no feriado, em João Pinheiro (MG), para estudar. “Pretendo ir no Natal, mas não sem levar meus livros e apostilas. Para onde vou, meu material de estudo vai junto”, acrescenta.

A autocobrança excessiva não é sadia, alerta Clayton Natal, professor de Língua Portuguesa do IMP Concursos. Na avaliação dele, é importante aos candidatos estratégia de estudo e foco nas disciplinas em que têm pouco domínio.

Com a proximidade das provas para o TJDFT, em dezembro, Natal recomenda que os alunos façam e refaçam exercícios e provas anteriores do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), o antigo Cespe, a banca examinadora responsável pela seleção. “O edital foi lançado em outubro. É pouco tempo para dominar toda a teoria. A prioridade é entender como a banca cobra os conteúdos”, destaca.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

PESQUISA DE CONCURSOS