Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Governo de Brasília abre 1.350 vagas para cursinho preparatório gratuito

#BoraVencer vai oferecer aulas como português, redação, legislações, direito administrativo e constitucional, raciocínio lógico e informática

31/07/2017 11:25 | Atualização: 31/07/2017 11:40

Lorena Pacheco

USP Imagens/Divulgação
Estudar para concursos públicos de graça no Distrito Federal? Parece até piada. Mas a verdade é que o Governo de Brasília lançou o #BoraVencer Intensivão Concursos, um programa de aulas gratuitas sobre disciplinas essenciais das seleções públicas. A quantidade de vagas dessa primeira edição também chama a atenção, serão 1.350 oportunidades para pessoas entre 15 e 29 anos de idade.


E não tem desculpa para não se inscrever. Haverá aulas nos três turnos do dia, sempre das segundas às sextas-feiras, de 21 de agosto a 1º de novembro. E os locais de estudo também são bastante variados: Asa Norte, na Asa Sul, em Brazlândia, em Ceilândia, no Gama, no Guará, em Planaltina, em Samambaia e em Taguatinga.

Leia também:
Professor dá aulas gratuitas para concursos na madrugada

Ao todo, serão 200 horas-aula de disciplinas como gramática, interpretação de texto, legislações, direito administrativo, direito constitucional, redação, raciocínio lógico e informática. As matérias serão apresentadas por professores do mercado de cursinhos do Distrito Federal.

Se você se interessou, pode se inscrever, também gratuitamente, entre 31 de julho e 10 de agosto, pelo site da Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude. Segundo o governo, as vagas serão preenchidas de acordo com critérios de vulnerabilidade social, com preferência para estudantes da rede pública.

E mais: Senado oferece cursos gratuitos de direito constitucional, administrativo e ética

Essa é a terceira vertente do programa que já ministrou aulas para vestibular e Enem e para cursos profissionalizantes. As aulas para concurso vão acontecer a pedido desses estudantes. “Sempre aplicamos avaliações ao fim dos cursos e, por meio delas, percebemos que essa demanda estava presente. Além da universidade e da profissionalização, eles também buscam a alternativa do concurso público”, afirmou o segundo o secretário de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude, Aurélio Araújo. Para se ter uma ideia, desde 2016, quando foi implantado o projeto, já foram dados 13 aulões e dois cursos intensivos, que atenderam 22 mil estudantes.

PESQUISA DE CONCURSOS