Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

AGU abrirá 100 vagas imediatas, mas cadastro reserva pode chegar a 3.500 chances

Ministério do Planejamento autorizou a seleção com oportunidades de níveis médio e superior para preenchimento imediato e formação de cadastro reserva. Expectativa é de que edital saia neste ano. Banca organizadora ainda não foi definida

20/07/2017 06:00 | Atualização: 20/07/2017 09:46

Lorena Pacheco

Reprodução/Internet
Para a alegria dos concurseiros, mais uma seleção federal foi anunciada. Após  permitir a abertura de 300 vagas na Agência Brasileira de Inteligência (Abin), o Ministério do Planejamento autorizou a Advocacia-Geral da União (AGU) a lançar processo seletivo. Serão 100 oportunidades de preenchimento imediato, além de formação de cadastro reserva. Os cargos ainda não foram definidos, mas está certo que serão vagas para as áreas de apoio às carreiras jurídicas da AGU, para candidatos de níveis médio e superior. Os salários iniciais serão de R$ 4,1 mil e R$ 6,2 mil, respectivamente, incluindo as gratificações.

 

A AGU bateu o martelo de que o edital sai ainda este ano e, no momento, está em processo para contratação da banca organizadora. Segundo a advogada-geral da União, ministra Grace Mendonça, “a realização desse concurso é um passo importante no processo de fortalecimento do quadro de servidores da AGU. Todos nós sabemos que as vitórias obtidas pela nossa instituição somente são possíveis graças, também, à incansável dedicação de nossos funcionários”, declarou.

Cem vagas é um número bom, mas muito abaixo do requisitado pela AGU ao Ministério do Planejamento. Segundo o órgão, em fevereiro deste ano, 1.364 vagas foram solicitadas para suprir a necessidade imediata de recomposição do quadro de servidores técnico-administrativos da AGU.

O cadastro promete

Mas os concurseiros não têm motivos para desanimar, já que atualmente a AGU tem mais de 500 cargos vagos e aguarda a aprovação do projeto de lei que cria a carreira de apoio do órgão. O PL 6.788/17 tramita na Câmara dos Deputados e atualmente se encontra na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público aberto para emendas. A proposta cria 3 mil cargos, sendo 2 mil de nível superior, para carreira de analista técnico de apoio à atividade jurídica, e mil de nível médio/técnico, para técnico de apoio à atividade jurídica, além de cargos de nível superior, intermediário e auxiliar, que hoje integram o quadro de pessoal da AGU.

Segundo a professora de direito constitucional do Gran Cursos Online Chiara Ramos, os aprovados nesse certame se beneficiarão da criação das vagas. “Se o PL for aprovado dentro do prazo de validade do novo concurso, acredito que os classificados, mesmo fora das vagas imediatas, terão chance de ingressar no quadro de pessoal da AGU”, disse.

O último concurso para a carreira assistencial da AGU foi aberto em 2014, com 60 vagas. De acordo com o Idecan, a empresa organizadora da seleção, 6.819 candidatos se inscreveram. O processo seletivo abriu chances para nível superior (analista de sistemas, analista técnico-administrativo, bibliotecário e técnico em comunicação social) e nível médio/técnico (técnico em contabilidade). O concurso contou apenas com provas objetivas.

 

De acordo com o professor de direito previdenciário e tributário do IMP Concursos, e procurador da AGU, Sebastião Faustino, os candidatos podem começar seus estudos com base no edital passado, pois o concurso será bem parecido com o de 2014. “O edital não deve ser muito diferente e provavelmente vai cobrar português, raciocínio lógico, noções de informática, conhecimentos gerais e específicos. Vai ser um concurso bem concorrido, sem dúvidas, principalmente porque deve abrir vagas para os principais pólos da AGU em todo país. Mas acredito que a maioria das vagas será para Brasília”. Apesar da concorrência, o especialista analisa que será uma seleção de média complexidade e que quem começar a estudar as matérias básicas hoje tem chances de ser aprovado.


PESQUISA DE CONCURSOS