Concurso, CorreioWeb, Brasília, DF

publicidade

Órgãos mantidos pela União são esperança para concurseiros do DF este ano

Juntos, o concurso lançado pela PCDF e os que ainda estão por vir, dos Bombeiros e PM, reúnem mais de 1.000 vagas

10/05/2016 15:49 | Atualização: 10/05/2016 16:11

Lorena Pacheco

Monique Renne, Helio Montferre e Minervino Junior/CB/D.A Press
Na Constituição Federal de 1988, além da autonomia política conferida ao Distrito Federal, estabeleceu-se competência para a União organizar e manter as Polícias Civil e Militar e o Corpo de Bombeiros Militar. Apesar de ter o governador local como comandante superior e responsável pelas autorizações de seleções e nomeações de aprovados, as folhas de pagamentos das três corporações são custeadas com recursos do Tesouro Nacional.

De acordo com a Lei 10.633, que instituiu em 2002 o Fundo Nacional do Distrito Federal, o aporte anual de recursos orçamentários destinados à capital federal é de R$ 2,9 bilhões, corrigido anualmente pela variação da receita corrente líquida, para prover os recursos necessários à organização e manutenção da Polícia Civil, da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar locais, bem como assistência financeira para execução de serviços públicos de saúde e educação, conforme disposto na Constituição Federal.

Coincidências ou não, estes são exatamente os três órgãos que mais prometem em termos de concursos públicos, em um ano ainda marcado pelo regime de contenção de gastos com pessoal, devido ao limite da Lei de Responsabilidade Fiscal. A Polícia Civil deixou de lado as especulações e largou na frente já com o primeiro edital de concurso do ano no DF. Com as inscrições prorrogadas, ainda dá tempo de concorrer a uma das 100 oportunidades abertas para perito criminal. Para tanto é preciso ter nível superior em nove áreas de conhecimento.

O salário não é nada modesto, em um levantamento com todas as polícias civis do país, o Correio constatou que a PCDF é a corporação que melhor paga. O salário inicial oferecido no edital da seleção só se equipara à remuneração da Polícia Federal, no mesmo cargo.

E ainda há tempo de sobra para se preparar. As provas continuam agendadas para 19 de junho. E nada de se preocupar com provas discursiva ou teste de aptidão física, que nós também te damos as dicas para conseguir vencer as etapas.

Os Bombeiros e a Polícia Militar, por sua vez, ainda não lançaram concurso, mas estão prestes a fazê-lo. Ambos já escolheram as bancas organizadoras das seleções, apesar de não divulgar uma data precisa ou limite para a divulgação dos editais no Diário Oficial - vale lembrar que a PCDF abriu concurso após três meses de escolha da examinadora.

Para a PMDF, serão abertas 51 oportunidades para segundos-tenentes, no quadro de oficiais, além de 153 vagas para formação de cadastro reserva. E, ao que tudo indica, o cadastro deverá ser convocado. O que reforça a expectativa é a quantidade de aposentadorias de policiais militares, que surpreende em relação ao número de vagas autorizadas.

Com banca também escolhida, os Bombeiros devem oferecer mais de 700 vagas para nove áreas de atuação dentro da corporação. A última seleção bateu recorde de convocações: foram 333 chances imediatas, mas 1.373 candidatos classificados foram chamados para assumir o posto. Saiba mais aqui.

Fora do quadradinho

As polícias militar e civil e o Corpo de Bombeiros de Goiás também vão abrir concurso em breve. Serão mais de 3 mil vagas.

PESQUISA DE CONCURSOS